Posts com a Tag ‘carta de crédito’

Como substituir financiamento por consórcio

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Consórcio-ou-financiamento-qual-vale-mais-a-pena

Você sabia que é possível substituir o financiamento por consórcio? Através da carta de crédito, há a diminuição do pagamento dos juros sem a necessidade de pagar imediatamente o valor integral da dívida.

A quitação do financiamento com consórcio é regulamentada pela Lei dos Consórcios (Lei nº 11.1795/2008). Essa lei prevê que aquele que possui carta de crédito contemplada em seu nome pode utilizá-la para a quitação de contrato de financiamento, que também deve estar em seu nome.

Os requisitos para que essa operação seja possível são:

  • Os contratos de financiamento e o grupo de consórcio devem ser posteriores ao ano de 2009 (ano de entrada em vigor da lei);
  • Os dois contratos devem ser relacionados ao mesmo segmento. Um contrato de financiamento imobiliário pode ser quitado com uma carta de crédito imobiliário devidamente contemplada;
  • A contemplação pode ter ocorrido tanto por sorteio quanto por meio de lance;
  • A administradora do consórcio e a instituição financeira precisam concordar com a operação;
  • A possibilidade de uso da carta de crédito para quitar o financiamento deve estar prevista em contrato;
  • O bem financiado será quitado, deixando de assegurar o financiamento, passando a garantir o contrato de consórcio até sua quitação;
  • A carta de crédito contemplada deve possuir valor igual ou superior ao saldo devido à instituição financeira para fins de quitação do financiamento;
  • Uma carta de crédito contemplada no valor de R$ 100.000,00 pode ser utilizada para a quitação de financiamento cujo saldo seja R$ 100.000,00 ou menos. Caso o saldo para quitação do financiamento seja maior que a carta de crédito, a operação não pode ser realizada.

Faça o seu consórcio agora mesmo!

Fonte: Jornal do Consórcio

Breitkopf Consórcios responde

quinta-feira, 22 de junho de 2017

 

É possível adquirir um bem de menor valor do que o crédito da cota?

É possível adquirir um bem de menor valor do que o crédito da cota?

 

É possível adquirir um bem de menor valor do que o crédito da cota? O valor da carta de crédito pode ser usado da maneira que o consorciado desejar, desde que respeite o segmento do bem objeto do plano, inclusive para comprar um veículo de menor valor do que o crédito da cota.

 

Caso escolha essa opção, o valor restante pode ser usado de diversas maneiras:

  • Para o pagamento de despesas dos procedimentos após a contemplação e aquisição do bem, como: transferências (no caso de seminovos com até cinco anos de fabricação), tributos, registros de cartório e instituições de registro e seguro. O valor usado para essa finalidade pode ser de até 10% do valor total do crédito recebido;
  • Para comprar outro bem, também sujeito à alienação fiduciária. É possível realizar a quitação das parcelas restantes do Consórcio (na ordem inversa, partindo da última), da maneira que estiver descrita no Regulamento.
  • Há ainda mais uma alternativa: o recebimento, em dinheiro vivo, da diferença entre o bem adquirido e o valor da carta de crédito, no encerramento do grupo em questão. Nesse caso, a condição para que isso aconteça é que as obrigações financeiras que o consorciado possui com o seu grupo e com a Administradora estejam quitadas e sem pendências.
  • E se o bem tiver um valor maior? O consorciado que optar pelo cenário inverso, escolhendo um bem com um valor maior que o da carta de crédito, ficará responsável por pagar a diferença de preço, negociando a melhor forma de pagamento diretamente com o fornecedor do veículo.

Quitação de financiamento

quinta-feira, 22 de junho de 2017

 

O uso da carta de crédito de consórcio com essa finalidade colabora com orçamento do participante, uma vez que no consórcio as parcelas são bem menores e acessíveis

O uso da carta de crédito de consórcio com essa finalidade colabora com orçamento do participante, uma vez que no consórcio as parcelas são bem menores e acessíveis

 

O valor do crédito do consórcio poderá ser utilizado durante a quitação de um financiamento em nome do próprio consorciado, conforme a Lei de nº 11.795/08. É possível fazer uso desse valor caso seja suficiente para a quitação total do financiamento e somente após a contemplação, que pode ocorrer por meio dos sorteios mensais ou oferta de lance.  O uso da carta de crédito de consórcio com essa finalidade colabora com orçamento do participante, uma vez que, no consórcio, as parcelas são bem menores e acessíveis, bem diferente de outras modalidades de compra que cobram taxas abusivas e contam com uma alta incidência de juros.

 

Fonte: Breitkopf Consórcios

 

Cliente tem a sorte de pagar duas parcelas do consórcio e já ser contemplado

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Quando o vendedor Ewerton Henrique de Oliveira, de Itajaí, resolveu comprar um consórcio de imóvel, tinha esperanças de que fosse contemplado logo, mas não imaginava que seria tão rápido. Ele foi contemplado na segunda prestação. “Foi à primeira vez que obtive um consórcio, influenciado pelo meu pai que sempre compra, e já adquiri pensando em comprar um terreno que era herança da família da minha noiva. Agora já está comprado, só faltam recursos para começar a construir uma casa”, declara.

 

Ele ficou tão feliz com a sorte que teve, que já decidiu comprar outro consórcio assim que terminar de pagar este. “É a melhor modalidade, visto que não há juros como nos financiamentos”, diz. Foram pagas duas prestações que somaram R$ 1.420,00 por uma carta de crédito de R$ 99.619,00.

Para quem não tem pressa, o consórcio é a melhor opção

quinta-feira, 13 de junho de 2013

A ausência de juros nos consórcios imobiliários – mesmo que haja cobrança de taxa de administração, fundo de reserva e seguro – é o maior atrativo que é vendido pelas administradoras.

No consórcio, os próprios participantes se financiam. São reunidos grupos de interessados que pagam mensalidades acrescidas de taxas de administração, seguro e para futuro de reserva (precaução contra calotes).

A cada mês, um ou mais cotistas são sorteados para receber uma carta de crédito com o valor total do imóvel e assim, continuar pagando as parcelas para financiar as compras dos demais. É possível tentar antecipar a contemplação através de um lance (quitação de parte do valor do imóvel). O lance mais alto é o que leva a carta de crédito.

O consórcio é uma ótima opção para aqueles que têm tempo para esperar pela contemplação, pois ela pode levar bastante tempo.

Queda do IPI beneficiou quem optou por consórcios

quinta-feira, 19 de julho de 2012

A redução do IPI de veículos anunciada pelo governo no dia 21 de maio suscitou dúvidas em quem estava pagando financiamento ou em vias de comprar um carro. Quem pagou à vista ou já estava financiando na ocasião, não terá nenhum benefício com as mudanças. Já os consorciados que, na data do anúncio já tinham a carta de crédito na mão, mas não haviam adquirido o carro, acabaram se saindo bem.

De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios ( ABAC ), a carta de crédito concedida antes da redução dos preços dos carros ainda não previa esse corte. Portanto, ela terá um poder de compra maior. Ainda segundo a ABAC , o consorciado contemplado poderá usar a carta de crédito para quitar o carro e utilizar os recursos restantes para pagar pela documentação e até abater as parcelas futuras do consórcio.

Quem já estava em um consórcio, mas ainda não havia sido contemplado, será beneficiado, porém em menor escala. A queda no preço do veículo será revertida em uma queda proporcional no valor das parcelas e, consequentemente, no valor da carta de crédito. Isso porque as cartas de crédito tomam como referência os preços reais dos veículos. Portanto, esse consumidor será beneficiado como qualquer outro que quisesse comprar o carro à vista, por exemplo. A diferença é que estará pagando o carro parceladamente, antes de comprá-lo de fato.

Saiba como utilizar seu FGTS para adquirir uma cota de consórcio

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

fgts

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS é um fundo composto por depósitos bancários em dinheiro realizado pelo empregador em favor do trabalhador, visando formar uma poupança que poderá ser resgatada nas hipóteses previstas em lei. Esses depósitos rendem juros e correção monetária, sendo que, ao final do período de um ano, a soma de todos os depósitos equivalerá a um salário bruto mensal.

Para quem está interessado em adquirir uma cota de consórcio de imóveis, essa é uma ótima solução. Após três anos de trabalho sob regime FTGS, esse valor já pode ser utilizado em consórcios. Confira as possibilidades que você tem para utilizar esse recurso:

– Até 100% do saldo do FGTS pode ser utilizado para ofertar lances. Para tanto, o consorciado deve apresentar o extrato da conta do Fundo de Garantia à administradora na qual adquiriu a cota.

– O FGTS também pode ser utilizado para complementar o valor da carta de crédito (ordem de faturamento emitida pela administradora para que o consorciado possa adquirir um imóvel de sua livre escolha). Quando o imóvel tem valor maior que o consórcio, o FGTS serve para complementar a compra.

– Além de utilizar o saldo do seu Fundo de Garantia, o consorciado tem ainda a opção de utilizar o FGTS do cônjuge ou companheiro, desde que este esteja no contrato como coadquirente.

Ficou interessado? Para mais informações, acesse o site www.breitkopf.com.br ou entre em contato com o Consórcio Breitkopf, através do telefone (47) 3231-2070 ou pelo e-mail ouvidoriaconsorcio@breitkopf.com.br.

Fonte: Cartilha FGT+ Consórcio = Casa Própria

As vantagens em adquirir um bem pelo consórcio

sexta-feira, 8 de julho de 2011

As vantagens em adquirir um bem pelo consórcio

Os números do mercado apontam um crescimento mês a mês para o consórcio entre as modalidades de financiamento. Nos primeiros quatro meses do ano, a modalidade cresceu 40%, em comparação ao mesmo período de 2010. Conheça o porquê deste crescimento e saiba quais as características e vantagens do consórcio, nesta entrevista respondida pelo gerente de vendas do Consórcio Breitkopf, Sidney Cardoso:

O que é consórcio?
Grupo de pessoas físicas ou jurídicas que se reúnem, para aquisição de bens através de  contribuições mensais, dentro de um período pré-estabelecido.

É possível adquirir mais de uma carta de crédito?
Sim, mediante análise prévia. No entanto, se for para aquisição de um único bem, as cotas devem ser do mesmo grupo.

Qual o índice de correção de parcelas? E em que periodicidade ocorrem os reajustes?
Consórcio de imóveis: corrigido pelo INCC (Índice Nacional dos Custos da Construção) a cada 12 meses a contar da data de constituição do grupo. Consórcio de veículos: corrigido de acordo com a tabela do fabricante ou tabela Fipe.

É possível antecipar os pagamentos?
Sim, o consorciado poderá antecipar o pagamento do saldo devedor na ordem inversa a contar da última. Porém, a antecipação de pagamentos não dá direito à contemplação da cota.

Onde são realizadas as assembleias do Consórcio Breitkopf?
As assembleias são realizadas na matriz do Consórcio Breitkopf (Rua São Paulo, 2001 Blumenau), de acordo com o calendário mensal.

Como obter os resultados das assembleias?
Os resultados podem ser obtidos no momento da assembleia; no site do Consórcio Breitkopf (http://www.breitkopf.com.br/novo/hp/consorcio/), com senha; extratos mensais; ou ligando para os atendentes (3231-2070).

Como utilizar a carta de crédito?
O consórcio de veículos pode ser utilizado para adquirir automóveis, utilitários, caminhões e outros veículos automotores, novos e usados, com até 5 anos de uso a contar da data da fabricação. O consórcio de imóveis pode ser utilizado para adquirir imóvel residencial, comercial ou veraneio, novo ou usado, terreno, ou ainda para construção ou reforma.

Em que local?
Em todo Território Nacional.

O bem é avaliado?
Sim, no caso de imóvel será avaliado por engenheiro autorizado pelo Consórcio Breitkopf. No caso de veículos usados, o consorciado deverá apresentar avaliação de uma concessionária autorizada.

O que é carta de crédito? Quando é disponibilizada a carta de crédito?
Carta de crédito é um documento representativo do valor disponível para a aquisição do bem. É disponibilizada para compra do bem após apresentação da garantia e documentação prevista no regulamento.

Posso utilizar o FGTS no meu plano de consórcio de imóveis?
Sim, o FGTS pode ser utilizado para complemento do crédito e pagamento de lance, desde que cumpridas as normas estabelecidas pela curadoria da Caixa Econômica Federal.

Como é realizado o sorteio?
O primeiro sorteio é realizado na primeira assembleia de constituição do grupo. A partir da segunda assembleia, a contemplação por sorteio ocorre mensalmente através de globo esférico.

Como ofertar lance?
Pessoalmente, no momento da assembleia, ou via internet (até duas horas antes da assembleia, com senha de acesso) e via telefone.

Qual o critério para apuração do lance vencedor? Como é contabilizado?
Os lances deverão ser ofertados em percentuais sobre o valor do crédito, mais as devidas taxas. É considerado vencedor o lance que representar o maior percentual de amortização.

Como posso utilizar parte do crédito como lance?
Existem duas opções de lance nos grupos de automotores. No primeiro, o consorciado pode utilizar até 30% do crédito para pagamento do lance na modalidade livre. Na segunda opção, o consorciado pode utilizar 20% do crédito para pagamento do lance na modalidade limitado.

Como será a contemplação?
A contemplação será realizada mensalmente por meio de sorteio e lance de acordo com a disponibilidade financeira do grupo.

Quais os procedimentos após a contemplação?
O consorciado receberá um sedex informando sua contemplação. Com isso, ele pode procurar qualquer ponto de vendas ou buscar orientações na matriz para os preenchimentos de seu cadastro e das documentações necessárias para a aquisição do bem.

Existe prazo definido para aquisição do bem após a contemplação?
O consorciado poderá adquirir o bem até o encerramento do grupo.

Após a contemplação o crédito será corrigido?
Sim, o crédito contemplado será atualizado através de rendimento das aplicações financeiras.

Por que a modalidade de consórcio tem alcançado crescimento e preferência dos consumidores?
Em razão ao aumento dos juros bancários. Uma vez que hoje o consumidor recebe as informações muito rápido através de jornais e internet, está atento ao mercado financeiro. Com isso, busca o consórcio como forma de não pagar juros para a aquisição do bem.

Quais as vantagens de adquirir um bem através do consórcio?
Além de não apresentar juros, facilita na hora da compra, pois o consorciado pode barganhar o preço, já que está pagando à vista. Com isso, tem grandes vantagens.

Qual o diferencial do Consórcio Breitkopf?
Todas as administradoras tem o mesmo papel, que é o de administrar os grupos. Mas destacamos como diferencial nossa participação na comunidade através de plantões de vendas e patrocínios a eventos. Essa aproximação fortalece nosso relacionamento com os consumidores. Além disso, estamos no mercado há mais de 50 anos, como um consórcio regional, com todas as garantias do Banco Central e atendimento personalizado aos clientes.

Em quais cidades possui filiais e representantes?
O Consórcio Breitkopf tem sua matriz em Blumenau e filiais nas cidades de Itajaí, Brusque, Balneário Camboriú, Jaraguá do Sul e Joinville. Também contamos com representantes nas cidades de Gaspar, Florianópolis, Chapecó, Timbó, Indaial,  Presidente Getúlio, Ibirama, Barra Velha, Brusque, Atalanta, Luiz Alves e Massaranduba.

Terreno conquistado com o Consórcio Breitkopf

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Terreno conquistado com o Consórcio Breitkopf

O tabelião Vilásio Jairo Moretti, 48 anos, acaba de ser contemplado no Consórcio de Imóveis Breitkopf. Ele foi sorteado com uma carta de crédito no valor de R$ 130 mil, com apenas oito parcelas pagas.

“Tinha muita esperança em ser logo sorteado”, comemora Moretti, que aderiu ao consórcio em março de 2010. Ele investirá o dinheiro em um um terreno em Vitor Meireles (SC), cidade onde mora, para construir um empreendimento comercial.

Casado e com dois filhos, de 19 e 22 anos, o tabelião apostou na modalidade de financiamento para facilitar no levantamento de valores para investimento e continuar a oferecer qualidade de vida à sua família.

Ele escolheu o Consórcio Breitkopf pela tradição e credibilidade que a empresa conquistou no mercado. Após receber uma visita do corretor da administradora, não pensou duas vezes antes de fechar o contrato. “Com certeza continuarei investindo em consórcios”, afirma Moretti.

Cresce procura pelo consórcio imobiliário

terça-feira, 27 de abril de 2010

Cresce procura pelo consórcio imobiliário

Marlon e a mulher pretendem comprar o apartamento onde moram como inquilinos. “Acho que logo, logo, a gente vai poder dormir em uma noite e acordar na outra como proprietário”, espera o gerente comercial Marlon Tomanini.

Dinheiro para isso eles já têm. Marlon entrou em um consórcio. No mês passado, deu um lance e foi contemplado com uma carta de crédito de R$ 350 mil. “Já está tudo montado, estou tranquilo aqui. É mais fácil, mais econômico, só vou cuidar das prestações do consórcio”, aponta Marlon.

O sistema de consórcios no país começou 2010 com um salto. Em janeiro e fevereiro, o volume de negócios atingiu R$ 8,6 bilhões – 43,3% a mais que no primeiro bimestre de 2009. Quem liderou esse boom foram os consórcios de imóveis, que registraram alta de 46,4%. Os de veículos cresceram 38,7%.

Já são 3,8 milhões de consorciados no país, 200 mil a mais que no início do ano passado. Esse é um setor que não tem tido do que reclamar. Nem mesmo no período de crise. Nessa época, o mercado de consórcios virou uma opção para quem queria comprar carro ou apartamento e não encontrava crédito na praça.

Agora, com o reaquecimento da economia, os consórcios decolaram, beneficiados pelo aumento da renda do trabalhador, especialmente daquele que quer fugir dos juros altos dos financiamentos.

O comprador de uma cota em um consórcio paga prestações sem juros, o que torna mais baixo o valor final do veículo ou imóvel. Somada às parcelas corrigidas anualmente, há uma taxa de administração de 0,2% ao mês, em média.

Mas no consórcio, o cliente só consegue a carta de crédito para adquirir o bem se for sorteado ou se der um lance. Para dirigentes do setor, o sistema pode ser comparado à poupança.

“Na poupança, se você fizer os depósitos, tiver disciplina, só vai poder utilizar o valor correspondente à compra de um bem no final do período. No consórcio, você vai participar todos os meses de um sorteio e pode ofertar lances, o que permite abreviar o recebimento do bem que você pretende”, compara o presidente regional da Abac Luiz Fernando Savian.

“Se ele quer dar o lance, quer dar o bem, o ideal é que seria no começo”, aconselha o economista Otto Nogami.

Fonte: G1