Posts com a Tag ‘financiamento’

Como substituir financiamento por consórcio

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Consórcio-ou-financiamento-qual-vale-mais-a-pena

Você sabia que é possível substituir o financiamento por consórcio? Através da carta de crédito, há a diminuição do pagamento dos juros sem a necessidade de pagar imediatamente o valor integral da dívida.

A quitação do financiamento com consórcio é regulamentada pela Lei dos Consórcios (Lei nº 11.1795/2008). Essa lei prevê que aquele que possui carta de crédito contemplada em seu nome pode utilizá-la para a quitação de contrato de financiamento, que também deve estar em seu nome.

Os requisitos para que essa operação seja possível são:

  • Os contratos de financiamento e o grupo de consórcio devem ser posteriores ao ano de 2009 (ano de entrada em vigor da lei);
  • Os dois contratos devem ser relacionados ao mesmo segmento. Um contrato de financiamento imobiliário pode ser quitado com uma carta de crédito imobiliário devidamente contemplada;
  • A contemplação pode ter ocorrido tanto por sorteio quanto por meio de lance;
  • A administradora do consórcio e a instituição financeira precisam concordar com a operação;
  • A possibilidade de uso da carta de crédito para quitar o financiamento deve estar prevista em contrato;
  • O bem financiado será quitado, deixando de assegurar o financiamento, passando a garantir o contrato de consórcio até sua quitação;
  • A carta de crédito contemplada deve possuir valor igual ou superior ao saldo devido à instituição financeira para fins de quitação do financiamento;
  • Uma carta de crédito contemplada no valor de R$ 100.000,00 pode ser utilizada para a quitação de financiamento cujo saldo seja R$ 100.000,00 ou menos. Caso o saldo para quitação do financiamento seja maior que a carta de crédito, a operação não pode ser realizada.

Faça o seu consórcio agora mesmo!

Fonte: Jornal do Consórcio

Quitação de financiamento

quinta-feira, 22 de junho de 2017

 

O uso da carta de crédito de consórcio com essa finalidade colabora com orçamento do participante, uma vez que no consórcio as parcelas são bem menores e acessíveis

O uso da carta de crédito de consórcio com essa finalidade colabora com orçamento do participante, uma vez que no consórcio as parcelas são bem menores e acessíveis

 

O valor do crédito do consórcio poderá ser utilizado durante a quitação de um financiamento em nome do próprio consorciado, conforme a Lei de nº 11.795/08. É possível fazer uso desse valor caso seja suficiente para a quitação total do financiamento e somente após a contemplação, que pode ocorrer por meio dos sorteios mensais ou oferta de lance.  O uso da carta de crédito de consórcio com essa finalidade colabora com orçamento do participante, uma vez que, no consórcio, as parcelas são bem menores e acessíveis, bem diferente de outras modalidades de compra que cobram taxas abusivas e contam com uma alta incidência de juros.

 

Fonte: Breitkopf Consórcios

 

Consórcio é o único financiamento de veículos que cresce

terça-feira, 28 de outubro de 2014

blog-Consórcio-é-único-financiamento-de-veículos-que-cresce

Entre todas as categorias de financiamento de veículos, o consórcio foi a única a registrar aumento no acumulado do ano até setembro, em relação ao mesmo período de 2013. Segundo a companhia Cetip, o leve crescimento foi de 0,5%, passando de 651 mil para 654 mil operações. No mesmo período, o Crédito Direto ao Consumidor encolheu 7,6% (indo de 4,16 milhões para 3,84 milhões) e o leasing caiu 9,1% (de 77 mil para 70 mil). Outros tipos, envolvendo automotores como iates e máquinas agrícolas, somados, tiveram redução de 7,5% (de 93 mil para 86 mil).

O crescimento do leasing foi puxado principalmente pelos automóveis leves, com elevação de 21% no acumulado de 2014. A Cetip opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), base de informações que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de crédito no País.

O Crédito Direto ao Consumidor (CDC), apesar da queda, segue como modalidade preferida pelos consumidores. Em setembro, dentre as 564.515 operações de financiamento de veículos realizadas, 472 mil (83,6%) foram por meio do CDC.

Fonte: Estadão Conteúdo/ Guilherme Mattar

Vendas de veículos por consórcio crescem no Brasil

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Prestação mais baixa, ausência de taxas de juros e possibilidade de se programar para adquirir um bem são as principais vantagens que impulsionam o bom desempenho do consórcio.

Para fugir do transporte público de má qualidade, muita gente acaba apostando no consórcio de veículos. O mais procurado é o de moto. O principal atrativo é a prestação, que é mais baixa do que financiar pelo banco. É por isso que o consórcio está firme e forte, registrando, inclusive, crescimento nas vendas.

Ao todo, 4,86 milhões de consumidores pagam algum tipo de consórcio hoje no Brasil. Mais de 80 mil novos contratos foram feitos entre janeiro e abril de 2012. Um incremento de 4,6% em relação ao mesmo período de 2011. O plano mais procurado é o de motos, seguido do de carros e de imóveis.

Quem faz um consórcio normalmente paga prestações mais baixas do que se pegasse um financiamento bancário. Mas não pode ter pressa. O consumidor pode ter que esperar anos até ter o bem desejado. No caso dos automóveis, o prazo médio é de sete anos, de acordo com a Associação Brasileira das Administradoras de Consórcios (ABAC).

O consumidor até pode tirar o carro antes, se for sorteado ou der um lance, além da prestação. O economista Carlos Eduardo de Freitas diz que com a inflação em crescimento e juros da poupança em queda, o consórcio passa a ser mais atrativo, mas lembra que é preciso ter alguns cuidados: antes de decidir por uma cota de consórcio é bom checar se a empresa está autorizada a funcionar. Esta informação está disponível no site do Banco Central.

Juros em queda, consórcios em alta

sexta-feira, 8 de junho de 2012

juros-queda2

As recentes decisões sobre a redução das taxas de juros, anunciadas pelos bancos, para financiamento de bens e serviços não afetou o desempenho dos consórcios. Esta modalidade continua sendo a mais vantajosa para quem quer ter mais prazo, pagar parcelas mais baixas e facilitar a compra (já que não tem análise de crédito no consórcio).

De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), o consórcio respondeu por 15,2% de participação nas vendas de veículos leves no primeiro trimestre, uma evolução sobre o período anterior, que foi de 11,8%. Ainda segundo a entidade, em março os consórcios somavam 4,85 milhões de cotistas, um acréscimo de 13,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Também nas contemplações houve uma evolução, de 15% sobre 2011.

O presidente da Abac, Paulo Rossi, avalia que os consórcios não perderam espaço diante da novidade das taxas de juros, porque é muito diferente de crédito. “As condições para as quedas nos juros são específicas e exigem uma entrada alta. Quem precisa do automóvel, pode dar um lance do valor da entrada,  em torno de 50%.”

Para 2012, a Abac prevê crescimento entre 7% e 9% do setor, que possui atualmente 200 administradoras ativas.

juros-queda

Precisa quitar um financiamento? Consórcio pode ser a solução

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

finan

Desde 2009, quando a lei que regulamenta o sistema de consórcio sofreu alterações, o negócio pode ser utilizado para quitar financiamento. Apesar de completar três anos da mudança na lei em fevereiro deste ano, muitas pessoas ainda não conhecem as vantagens que o sistema oferece.

Para utilizar o consórcio como alternativa de quitar um financiamento, o bem financiado deve ser o mesmo do consórcio e estar no nome do mesmo comprador. Além disso, o valor só poderá ser utilizado se for suficiente para a quitação total do financiamento.

A dica para quem foi contemplado em um consórcio é verificar o contrato de financiamento e as condições para a quitação. Quando o financiamento é finalizado antes do prazo pode-se reduzir os encargos embutidos nele. Como o sistema de consórcio tem caráter de poupança obrigatória e não tem juros, esta é uma opção escolhida cada vez mais pelos brasileiros.

Outro fator importante do sistema depois da alteração da legislação é a segurança que os consorciados têm. Antes, caso desistisse da cota, o consorciado precisava vendê-la ou esperar o final do grupo para receber o dinheiro. Após a nova lei entrar em vigor, os desistentes continuam participando dos sorteios e quando contemplados podem receber as parcelas.

FGTS para consórcio começa a valer

sexta-feira, 19 de março de 2010

FGTS para consórcio começa a valer

Entrou em vigor no dia 18 de março, a utilização do dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para compra do consórcio de imóvel. A Caixa Econômica Federal, que regulamenta a atividade, está instruindo as administradoras de consórcios. “As condições estão sendo repassadas às administradoras, para disponibilizarem esse novo tipo de compra”, disse o presidente da Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), Paulo Roberto Rossi.

Agora é possível pagar 80% de cada parcela do consórcio com a renda vinda do fundo. O mutuário pode pagar 12 prestações com esse recurso — podendo ser renovável por mais 12 meses. Também é possível escolher qual percentual será utilizado para abater a parcela. Antes, esse tipo de pagamento só era possível para quem fizesse um financiamento imobiliário.

A amortização ou quitação das dívidas com o dinheiro do FGTS podem ser feitas somente a cada dois anos. Além disso, a condição só é válida para imóveis de até R$ 500 mil (que estejam em área urbana), e os mutuários não podem ter mais de três parcelas atrasadas.

Fonte: São Paulo Agora

Consórcio Breitkopf apresenta facilidades na Fenahabit

terça-feira, 21 de julho de 2009

O Consórcio Breitkopf esteve presente na 5ª Fenahabit (Feira Nacional das Tecnologias da Construção e Habitação), que aconteceu de 17 a 21 de junho, no Parque Vila Germânica, em Blumenau, SC. Em parceria com a Breitkopf Veículos apresentou todas as vantagens e facilidades oferecidas pela modalidade de financiamento.

Os clientes que visitaram o estande foram atendidos por um vendedor que explicou tudo sobre o Consórcio Breitkopf e distribuiu um folder, contendo uma tabela de preços. Os visitantes também puderam conhecer o Caminhão Show-room, uma estrutura para apresentar os produtos do Consórcio Breitkopf e da Breitkopf Veículos. Com ambiente  climatizado, conta com estrutura de bar, onde os clientes puderam provar bebidas e salgadinhos, enquanto assistiram vídeos em uma tela de 42 polegadas.

Além de fechar negócios durante a Fenahabit, o Consórcio Breitkopf fez inúmeros agendamentos. “O objetivo do trabalho da equipe de vendas foi divulgar nossos produtos e fazer contatos com os clientes”, relata Sidney Cardoso, gerente de vendas do Consórcio Breitkopf.

Consórcio imobiliário tem alta de 3,2%

terça-feira, 23 de junho de 2009

O consórcio de imóveis bateu o recorde de clientes em março deste ano, chegando a uma carteira de contratos vigentes de 518 mil pessoas. O crescimento é de 7,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

No terceiro mês deste ano foram comercializadas 22.320 novas cotas, somando 47,4 mil no trimestre, 3,2% a mais do que no primeiro trimestre de 2008.

Com a queda dos juros do crédito habitacional anunciada recentemente pelos bancos, a vantagem do consórcio sobre o financiamento para a compra da casa própria está diminuindo. “A diferença vem caindo. Porém, em termos monetários o consórcio ainda é mais barato do que os financiamentos”, afirma Miguel de Oliveira, economista da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

O presidente regional da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), Luiz Fernando Savian, explica que as duas modalidades não são concorrentes diretas. “O consórcio é para o consumidor que se planeja, funciona como um investimento. Já o financiamento é para quem quer sair de um aluguel, por exemplo”, diz.

O consórcio ainda é mais vantajoso financeiramente. Contudo, o consumidor paga para depois receber a carta de crédito e poder fazer a compra. Ou espera ser sorteado durante o pagamento das parcelas. Há também a possibilidade de dar o lance, que varia entre 30% a 50% do valor do imóvel para poder abater no contrato e receber as chaves.

Crise e divulgação

O crescimento das vendas de cotas de consórcio em março é resultado direto de uma campanha realizada pela Abac para divulgar a modalidade. O setor também saiu ganhando com a crise econômica internacional.

“Desde setembro estamos registrando um crescimento nas vendas, pois a limitação de crédito para outras modalidades fez com que muitos consumidores nos procurassem”, conta Savian. De acordo com ele, a expectativa para este ano é de crescimento de até 8% da carteira de consorciados.

Fonte: Jornal da Tarde