Posts com a Tag ‘segurança’

Parcelas acessíveis, segurança e tranquilidade na Breitkopf Consórcios

terça-feira, 10 de abril de 2018

 

foto-materia-4-(1)

 

Quem opta por um consórcio sabe que está fazendo uma compra programada, de médio ou longo prazo, em que o valor do bem é parcelado de forma flexível em parcelas mensais adequadas ao seu orçamento. Na Breitkopf Consórcios, os clientes contam, também, com a tranquilidade e a segurança de estar contratando uma empresa idônea e autorizada pelo Banco Central.

 

Além destas vantagens, o consórcio é um sistema financeiramente mais atraente, pois permite comprar um carro, moto ou imóvel sem pagar juros. Sem parcelas intermediárias e sem burocracia, o consórcio possibilita a adesão em grupos com uma ou mais cotas de consórcios, facilitando a compra de bens com alto valor agregado.

 

O consórcio é como um autofinanciamento, no qual o cliente escolhe o crédito e o prazo de pagamento conforme sua disponibilidade. Assim, a cada parcela paga, um fundo comum se forma com o objetivo de contemplá-lo, seja por meio dos sorteios ou lances.

 

O cliente contemplado que estiver em dia com os pagamentos recebe uma carta de crédito para que possa comprar à vista o bem desejado. Por isso, esse autofinanciamento ajuda a manter a disciplina financeira entre os envolvidos. Afinal, ninguém quer perder a chance de ser contemplado e antecipar a realização de seu sonho!

Trânsito seguro

quinta-feira, 28 de julho de 2016
Pauta-1---Segurança-no-Trânsito

Os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados e não motorizados, e também pelos pedestres

Para conviver em harmonia buscamos algumas dicas de segurança que são úteis para todos que desejam um trânsito mais seguro e agradável. A principal delas é baseada no parágrafo segundo do artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro. Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e juntos, pela proteção dos pedestres.

Use o seu espaço

Todos têm um lugar mais adequado para trafegar. Ciclistas, patinadores e skatistas devem circular ocupando a faixa da direita e na mão dos carros. Já, os motoristas e motociclistas devem manter deles uma distância de 1,5 metros ao ultrapassar (prevista em lei, pelo artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro – CTB). Pedestres devem atravessar na faixa preferencial, olhando antes para os dois sentidos, mesmo em ruas de mão única.

Crianças ao lado da guia

Menores podem se distrair facilmente e sair do caminho traçado. Se elas estiverem pedalando ao lado dos cones, um breve momento de distração pode fazer com que invadam a pista dos carros.

Evite riscos

Ciclistas, patinadores e skatistas devem evitar grandes avenidas: além do pouco espaço deixado pelos carros, as ruas menores são mais seguras e menos poluídas. Não circule pelo corredor entre os carros quando eles estiverem em movimento. A calçada é destinada para os pedestres, por isso evite circular por elas de patins, skate ou bicicleta para evitar acidentes. Pedestres devem evitar atravessar por entre os carros. Quem está nos automóveis deve tomar cuidado ao abrir as portas. Jamais ande acima dos limites, pois em menor velocidade é mais fácil evitar acidentes.

Cruzamentos

Não passe ou atravesse no sinal vermelho. E mesmo que a via seja preferencial ou o sinal esteja aberto para você, mantenha-se sempre atento, pois pode haver alguma emergência ou imprudência no trânsito.

Acessórios

Se você é ciclista, motociclista, patinador ou skatista, use capacete e luvas. Para skatistas e patinadores é recomendado, também, o uso de joelheiras. Já os motoristas, o uso do cinto de segurança é obrigatório e indispensável.

Veja e seja visto

Além de usar luzes, refletivos e faróis, sinalize suas intenções no trânsito, avisando o que pretende fazer, e fique atento ao que acontece, tentando antecipar as ações dos que estão ao seu redor.

Reduza a velocidade

A Ciclo Faixa é um espaço destinado ao lazer. Não pratique speed bike, não corra ou, ainda, apresse os outros.

Declive

Cuidado com a descida. Pode parecer muito mais fácil e gostoso soltar a bike na descida e sentir o vento batendo no rosto, mas também pode ser perigoso.

Crianças à frente

Além de resguardá-las, a ação evita que elas tentem acompanhar o ritmo da sua pedalada e assim pedalam com mais segurança e tranquilidade.

Saia da bike

Bicicleta é um veículo e, portanto, deve ocupar as vias. A calçada é de uso exclusivo de pedestres, exceto quando existe sinalização indicando a existência de calçada compartilhada.

Equipamentos de segurança

São obrigatórios campainha, espelho retrovisor e sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, conforme o artigo 105 do CTB. O uso do capacete não é obrigatório, porém é essencial e é recomendada a utilização. Para as crianças, vale também usar joelheiras e cotoveleiras.

Conviva

Pessoas educadas e pacientes convivem melhor nas ruas.

Fonte: http://movimentoconviva.com.br/dicas-de-seguranca/

 

Rodízio de pneus

quarta-feira, 29 de junho de 2016
rodízio-de-pneus

A rotatividade é uma forma de equilibrar a vida útil dos pneus do carro, oferecendo maior segurança e economia

Você já ouviu falar do rodízio de pneus? O rodízio é uma forma de equilibrar a vida útil dos pneus do seu carro, oferecendo maior segurança e economia, além de evitar o desgaste antecipado. Confira os detalhes do procedimento e qual é a melhor maneira de realizá-lo.

Como funciona o rodízio de pneus

O rodízio trata-se da troca dos pneus do seu veículo entre si, e tem como principal objetivo preservar estes componentes aumentando o tempo de utilização.

Para tornar o entendimento mais fácil, veja, por exemplo, os veículos de passeio mais vendidos no Brasil. Com tração dianteira, os pneus do eixo frontal são bem mais exigidos e possuem desgaste maior do que os traseiros. Neste caso, ao realizar o rodízio, os pneus traseiros os substituem, pois são menos exigidos.

Vantagens de realizar o rodízio

O rodízio proporciona maior equilíbrio no gasto dos pneus, traz maior estabilidade na direção, aumenta a vida útil, além de ser mais econômico. Outra vantagem do rodízio é a verificação constante da regulagem, auxiliando em alinhamento e calibragem mais eficazes.

No entanto deve ser considerado que o rodízio é uma ação preventiva, para conservar o bom estado dos pneus e não uma ação corretiva. Em casos de desalinhamentos e desgastes irregulares, o rodízio não deve ser realizado. Nestas circunstâncias a solução é um novo jogo de rodas.

Recomendações das montadoras

Grande parte das montadoras fornecem especificações para que o rodízio seja realizado da forma correta e no momento certo. A operação normalmente deve ser realizada entre cada 5 mil a 10 mil km rodados.

Enquanto algumas montadoras especificam a troca entre os eixos, existem outras que determinam por questões de segurança o procedimento de troca de pneus da direita para a esquerda.

Por isso, antes de realizar o rodízio de pneus no veículo é importante consultar as recomendações dadas pela montadora. Caso não haja uma orientação específica, os mecânicos podem aplicar o rodízio, desde que a direção esteja alinhada perfeitamente, com a calibragem correta, pneus sem deformações e dentro da vida útil.

Fonte: https://www.jornaldoconsorcio.com.br/rodizio-de-pneus-maior-seguranca-1

Precisa quitar um financiamento? Consórcio pode ser a solução

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

finan

Desde 2009, quando a lei que regulamenta o sistema de consórcio sofreu alterações, o negócio pode ser utilizado para quitar financiamento. Apesar de completar três anos da mudança na lei em fevereiro deste ano, muitas pessoas ainda não conhecem as vantagens que o sistema oferece.

Para utilizar o consórcio como alternativa de quitar um financiamento, o bem financiado deve ser o mesmo do consórcio e estar no nome do mesmo comprador. Além disso, o valor só poderá ser utilizado se for suficiente para a quitação total do financiamento.

A dica para quem foi contemplado em um consórcio é verificar o contrato de financiamento e as condições para a quitação. Quando o financiamento é finalizado antes do prazo pode-se reduzir os encargos embutidos nele. Como o sistema de consórcio tem caráter de poupança obrigatória e não tem juros, esta é uma opção escolhida cada vez mais pelos brasileiros.

Outro fator importante do sistema depois da alteração da legislação é a segurança que os consorciados têm. Antes, caso desistisse da cota, o consorciado precisava vendê-la ou esperar o final do grupo para receber o dinheiro. Após a nova lei entrar em vigor, os desistentes continuam participando dos sorteios e quando contemplados podem receber as parcelas.