Posts Tagged ‘Revisão’

Hora da revisão

quarta-feira, dezembro 18th, 2013

mat-1-hora-da-revisão

Com o fim de ano chegando e com o período de férias se aproximando, viajar com seu automóvel para conhecer outras cidades, ir para a praia, visitar os parentes mais distantes, requer alguns cuidados para que o passeio tranquilo não se torne um pesadelo.
Por isso a Breitkopf Veículos recomenda uma revisão de férias em uma oficina especializada. Antes de colocar o veículo na estrada, recomenda-se deixar as revisões em dia e garantir a segurança do condutor e da sua família.

 

“É sempre bom verificar os sistemas de direção, suspensão e frenagem. Certificar-se de que os pneus, inclusive o estepe estão em condições de uso e calibrado, lembrando sempre de fazer o balanceamento e geometria dos pneus, verificar os freios e outros itens que fazem parte da segurança do condutor”, diz o Gerente de Serviços da Breitkopf Veículos, Edson Fernando Bretzke.

Confira algumas dicas Volkswagen

segunda-feira, janeiro 9th, 2012

viagem-m2

O fim de ano chegou e neste período muitas pessoas optam por curtir uma viagem de férias. Se você pretende viajar, confira algumas dicas de manutenção do seu veículo para garantir a tranquilidade na estrada:

Cuidados básicos

viagem3-m2

Faça uma revisão rápida em alguns itens importantes, como pneus, luzes e limpadores de pára-brisas, para garantir a segurança. Mesmo que o seu veículo esteja em boas condições, a revisão dá ao motorista uma garantia a mais.

Calibre os pneus antes de ir para a estrada. Com o carro mais carregado, é preciso usar pressão maior – confira os números corretos no manual do veículo. Verifique também se o estepe está cheio e onde estão o macaco, a chave de roda e as ferramentas para remover as calotas ou rodas.

Quando o assunto é manter uma distância segura, a Volkswagen já oferece em alguns de seus veículos a tecnologia do ACC (controle eletrônico de velocidade e distância), que acelera e freia o carro automaticamente de acordo com a distância e a velocidade previamente estabelecidas pelo motorista.

Na oficina

viagem2-m2

É fundamental verificar o desgaste das pastilhas e discos de freios. E é bom examinar o alinhamento e balanceamento das rodas – rodas desalinhadas podem provocar desgaste irregular e prematuro dos pneus.

Também é bom conferir o estado dos amortecedores. Eles são importantes não só para o conforto, mas para a segurança. Lembre-se que, se o carro estiver lotado e com bagagem, eles serão mais sobrecarregados que o normal. Verifique o nível do óleo do motor e cheque os filtros de ar, óleo e combustível e o do ar-condicionado.

Sono ao volante

viagem1-m2

Por mais que queira chegar logo ao destino, nunca subestime o cansaço. A fadiga é uma das maiores causas de acidentes, principalmente se, além de fisicamente exausto, o motorista começar a sentir sono.

A transição entre uma leve sonolência e dormir ao volante costuma ser repentina e as consequências podem ser gravíssimas. Se sentir cansaço, pare assim que encontrar um lugar seguro, sempre fora da rodovia ou do acostamento.

Dentro do portfólio de veículos oferecidos pela Volkswagen no Brasil, alguns modelos, como o Passat e o Novo Tiguan, contam com o detector de fadiga, uma tecnologia inovadora e exclusiva em seus respectivos segmentos.

Sistemas eletrônicos monitoram os primeiros 15 minutos de viagem e comparam com os parâmetros traçados ao longo do trajeto. Se esse recurso detectar a perda de concentração do motorista, o sistema avisará através de um sinal auditivo com cinco segundos de duração. Uma mensagem visual também aparece no painel de instrumentos, recomendando que o condutor pare para descansar. Caso o motorista não pare dentro dos próximos 15 minutos, o aviso é repetido.

Fonte: www.segs.com.br

Rolamento tem que ser verificado a cada 20 mil quilômetros

terça-feira, dezembro 8th, 2009

Pequeno componente que fica no eixo da roda, o rolamento merece atenção. Ruídos indicam o desgaste prematuro da peça. Buracos, acidentes e até enchentes podem danificá-los antes do tempo. Embora considerados importantes itens de segurança, em geral o motorista só é avisado da necessidade da troca dos rolamentos quando leva o carro a uma revisão.

Porém, a verificação do estado desse componente pode ser feita no dia a dia, procurando-se ouvir ruídos estranhos (“roncos”) na roda. “Em baixas rotações, o motorista ouve um ruído mais grave; já em altas rotações, um som mais agudo”, afirma Alexandre Luís Santana, vendedor técnico da SKF. Segundo ele, em situações de risco, a quebra de um rolamento com o carro em movimento pode causar um grave acidente. “Nesse caso, pode ocorrer o travamento de uma das travas, o que afeta a dirigibilidade do veículo, causando sérios riscos ao motorista”, alerta.

O tempo mínimo de desgaste dessa peça é de 40 mil quilômetros, segundo Luiz Manzoli, engenheiro de aplicação da INA. Na opinião dele, contudo, o desgaste por fadiga (excesso de tempo de uso) acontece acima dos 80 mil quilômetros. Como forma de manutenção preventiva, a SKF sugere uma vistoria nos rolamentos a cada 20 mil quilômetros, já que é nesse momento, segundo a fabricante, que podem ser detectados desgastes prematuros nas peças.

Outros motivos

Os especialistas alertam que existem outros fatores capazes de diminuir o tempo de vida do rolamento, como as condições do solo ou a manutenção de outros itens como a suspensão e a direção. “Buracos, lombadas, acidentes, impurezas, sujeiras e até enchentes, que danificam a graxa do rolamento, diminuem a vida útil desse componente”, explica Manzoli.

Segundo ele, se o motorista identificar algum tipo de problema na suspensão do carro, os rolamentos devem ser checados. Da mesma forma, quando o usuário ouvir algum ruído, a recomendação é levar o carro até alguma oficina de confiança. “Caso o ruído tenha origem em um ou mais rolamentos, a troca deve ser imediata”, destaca.

Fonte: Metrô News

Inspeções periódicas em dia

quinta-feira, agosto 6th, 2009

Não é só antes de viajar que os motoristas devem se preocupar com a revisão do veículo. As inspeções regulares são igualmente importantes, uma vez que a maioria acaba rodando muito mais dentro de sua própria cidade do que em viagens. O nível do óleo, a água do radiador, os sulcos dos pneus, a lavagem do motor, a calibragem dos pneus e os cuidados com a bateria devem sempre estar em dia, para evitar surpresas desagradáveis.

Verificar o nível do óleo

Cheque o nível de óleo do motor a cada semana. Em local plano e com o motor frio, o nível correto deve ficar entre as marcas mínima e máxima da vareta. Óleo em excesso pode sujar as velas e o sistema de alimentação nos carros com carburador. A falta de óleo compromete a lubrificação das partes móveis internas, podendo causar o travamento ou desgaste prematuro do motor. Se tiver de completar o nível, utilize óleo da mesma marca, especificação e classificação da do óleo original.

Completar a água do radiador

Verifique o líquido do sistema de refrigeração (radiador e vaso de expansão) sempre com o motor frio, semanalmente, de preferência logo pela manhã. O nível correto deve ficar entre as marcas máxima e mínima do reservatório de expansão. Em caso de superaquecimento, espere o motor esfriar antes de completar o nível. Feito isso, ligue o motor e adicione a água fria aos poucos. Isso evita um choque térmico que poderia causar o empenamento do cabeçote e outros problemas .

Profundidade dos sulcos dos pneus

Desenhados para escoar a água em contato com a banda de rodagem, os sulcos dos pneus devem manter uma profundidade mínima de 1,6 mm. Abaixo dessa medida, passam a perder a aderência quando em contato com o chão molhado ou em condições de baixo atrito. Além disso, carros com pneus lisos estão sujeitos a multa na estrada.

Lavagem do motor nos postos

Os carros equipados com injeção eletrônica são mais sensíveis à água durante as lavagens. Por isso evite limpar o motor com muita frequência nos postos de abastecimento. A água sob pressão pode infiltrar nos terminais e sensores do sistema de ignição e bloquear o contato elétrico, impedindo o funcionamento do motor. Em modelos com central eletrônica instalada dentro do cofre do motor, pode haver uma pane nesse componente. Se a lavagem for inevitável, envolva a central eletrônica com um plástico e evite esguichar água sob pressão nos terminais.

Calibragem dos pneus

A calibragem dos pneus deve ser checada semanalmente, sempre com os pneus frios, de preferência pela manhã, no posto mais próximo de casa. Quando o carro está em movimento o atrito da roda com o piso aquece os pneus. Isso aumenta o volume interno de ar e faz com que a pressão se eleve, apontando uma medição alterada.

Cuidados com a Bateria

Nas baterias não seladas, verifique e complete o líquido a cada 30 dias, reduzindo essa frequência no verão, quando há maior evaporação. Use sempre água destilada, pois a água de torneira contém elementos químicos ou metais que podem comprometer a vida útil da bateria. Nas baterias seladas, o orifício de ventilação dos elementos deve estar sempre desobstruído para evitar o acúmulo de gases e uma eventual explosão.

Fonte: www.bolsacar.com.br

Fim de férias pede revisão no carro

sexta-feira, março 13th, 2009

Depois de desfrutar as férias na praia, é preciso tomar algumas providências em relação ao carro. Areia, sol e maresia são ingredientes que ajudam a tornar as férias mais agradáveis. Mas, somados à aventura das ruas esburacadas, podem ser prejudiciais para as peças do automóvel.

Para evitar futuras incomodações e rodar o resto do ano com tranquilidade, o indicado é levar o carro a uma concessionária autorizada ou oficina de confiança para fazer uma revisão geral. É preciso ficar atento a sinais de oxidação e barulhos estranhos, sem esquecer de uma lavagem completa, para remover resíduos da temporada no litoral.

O que fazer:

1- Em uma volta no quarteirão, o especialista pode observar ruídos, falhas mecânicas e desalinhamento de rodas. Na oficina, uma investigação do chassi e do motor detecta danos visíveis, como vazamentos de óleo.

2- Verifique itens como filtros e correias. Embora não sejam equipamentos sofisticados, são essenciais ao restante da engrenagem. Uma checagem na parte elétrica e um diagnóstico da injeção eletrônica são necessários.

3- Teste a absorção de molas e amortecedores, essenciais para a estabilidade do carro. E fique atento ao estado de conservação dos pontos de articulação da suspensão. Os sistemas de freio e de arrefecimento também precisam ser avaliados.

4- Cheque se lanternas e faróis estão funcionando corretamente. Trepidações causadas por pisos irregulares podem desconectar cabos e danificar soquetes.

5- Examine a superfície dos pneus para ver se não há pregos ou outros objetos cortantes. E nas rodas, veja se não há ondulação.

6- Leve o carro para uma lavagem profissional, para limpar a parte inferior de maneira adequada. Se for lavar o motor, é necessário assegurar que o conjunto mecânico e as peças eletrônicas estejam frios, para não danificá-los.

7- Faça a geometria e o balanceamento, pois dão mais segurança ao volante. Ainda mais se o carro sofreu com buracos na areia.

8- Fique atento ao escapamento – a surdina sofre com pedras e quebra-molas mal projetados – e o catalisador, que em contato frequente com água pode estragar.

Fonte: Jornal de Santa Catarina