Posts Tagged ‘veículo’

Campanha Prêmios Volkswagen

sexta-feira, julho 14th, 2017

 

Marca lança ação para divulgar premiações

Marca lança ação para divulgar premiações

 

A Volkswagen desenvolveu uma campanha para comemorar os muitos prêmios recebidos pela marca. Com foco nos clientes, a campanha tem o objetivo de tornar pública a informação sobre as premiações que os veículos da Volks vêm conquistando ao longo do tempo, além de divulgar a alta qualidade dos produtos e o reconhecimento perante a mídia especializada.

 

Fonte: Breitkopf Veículos

 

Rafinha Bastos protagoniza comercial do Up!

terça-feira, junho 13th, 2017

 

Comediante mostra aos concorrentes que o veículo é espaçoso e forte

Comediante mostra aos concorrentes que o veículo é espaçoso e forte

 

Para os que não viram o comercial de resposta da Volkswagen em relação às críticas da concorrência, o vídeo https://youtu.be/RrjO7Th_j-8 esclarecerá. A provocação partiu de uma marca concorrente, alegando que o Up!, da Volkswagen, é extremamente baixo, a ponto de deixar pessoas corcundas ou obrigar os passageiros a saírem do carro ao passar em uma lombada.

 

Como resposta, a Volkswagen pediu ao comediante Rafinha Bastos, com seus 1,90m, que fizesse um test-drive no carro. E adivinhem! O resultado foi um dos melhores. Além de provar que o Up! é espaçoso e forte, Rafinha ainda brincou com a concorrente. “Se você não for o pé grande, espaço não vai faltar. Se você ficou corcunda no Up!, talvez você seja realmente corcunda”, disse Rafinha.

Fonte: http://adnews.com.br/publicidade/renault-provoca-volks-e-leva-troco-em-comercial.html

 

 

Novo Up!

quarta-feira, maio 10th, 2017
O design renovado e as novas configurações deixaram o veículo ainda mais agradável

O design renovado e as novas configurações deixaram o veículo ainda mais agradável

O Novo Up! vem com design renovado e novas configurações com o subcompacto Up! e sua versão aventureira Cross Up!. Seu design recebeu mudanças sutis, que deixam o carro bem mais agradável. O novo para-choque é mais robusto, a entrada de ar falsa no capô está mais larga e o para-choque traseiro tem novo desenho. As laternas traseiras são de LED. Com todas estas mudanças, o novo Up! ocupará uma posição de carro de entrada premium na linha da Volks, deixando o Gol como modelo mais simples da marca.

 

O Up! continua com o conhecido conjunto mecânico formado pelo motor 1.0 MPI, de três cilindros, capaz de gerar 82 cv e 10,4 kgfm de torque, com etanol, combinado ao câmbio manual de cinco marchas. Outra opção para o veículo é a caixa automatizada I-Motion, também de cinco velocidades.

 

As versões intermediárias, topo de linha e Cross utilizam o 1.0 TSI, de 105 cv e 16,8 kgfm de torque, trabalhando exclusivamente com o câmbio manual. Os valores variam entre R$ 37.990 e R$ 55.600.

 

Fonte: Carros – iG @ http://carros.ig.com.br/segredos/2017-04-25/volkswagen-lancamentos-2017.html

 

Curso oferecido pela Volkswagen para mulheres

quarta-feira, julho 25th, 2012

No dia 12/07 foi ministrado na Auto Escola Nilson o curso MIM (Mecânica Inteligente Para Mulheres). Este curso é oferecido pela Volkswagen e ministrado pelo Gerente de Assistência de Brusque, o Sr. Pedro Prim.

O curso tem como finalidade mostrar de uma maneira mais fácil o funcionamento de um automóvel, dar dicas de preservação e segurança do veículo, assim como a sua manutenção.

Com uma linguagem clara e prática, até as pessoas mais leigas no assunto (em se tratando de carros), podem absorver e aproveitar as informações apresentadas para a aplicação no seu dia-a-dia.

Como dirigir em caso de alagamento

sexta-feira, outubro 23rd, 2009

As chuvas e, consequentemente, as enxurradas ou até enchentes são frequentes nessa época do ano. E são nessas horas que o carro é mais exigido. Para não ficar no meio do caminho, certos cuidados com o veículo e algumas normas de conduta no trânsito podem evitar que os planos de quem enfrenta ruas alagadas ‘‘entrem pelo cano”.

Uma das principais recomendações de mecânicos especialistas é de que, ao perceber que a rua está alagada, o motorista encoste o veículo em lugar mais alto ou espere a chuva diminuir. No entanto, como isso nem sempre é possível, outra opção é traçar uma rota alternativa nos dias chuvosos, evitando regiões que costumam ficar alagadas. Mas, se o condutor tiver de passar de qualquer jeito pela região alagada, o ideal, segundo especialistas, é manter a aceleração constante e trafegar devagar, em segunda marcha, no máximo.
Trabalhando há mais de 45 anos no setor de reparo automotivo, Élvio Roberto Latorre, alerta que, se o nível da água estiver na metade da roda do veículo, é melhor não se arriscar. De acordo com ele, a avaria mecânica mais comum nos dias de enchente é conhecida como calço hidráulico, que consiste na entrada de água no motor. Com o sistema encharcado, o pistão empena a biela e, consequentemente, trava o motor. “Isso acontece porque quando o carro morre o motorista, quase que instintivamente, dá novamente na partida. Pronto, o motor puxará a água que estiver em contato com o sistema e é formado o calço”, explica o mecânico.

Latorre conta que o nível de segurança é baseado de acordo com as tomadas de ar e filtros do veículo. Como isso é diferente em cada modelo, o recomendável é ultrapassar os níveis de água inferiores a 30 centímetros. “A água pode entrar tanto pelos filtros como pelo escapamento. Na dúvida, não arrisque”, diz. Ele explica que algumas panes mecânicas não aparecem de imediato. “Às vezes, o motor vai apresentar algum problema relacionado à enchente semanas depois”.
Luiz Fernando Napolitano, diretor de uma empresa de recuperação de motores automotivos e serviços, lembra que um dos erros mais comuns nos dias de chuva é seguir filas nas ruas alagadas. “Se o carro da frente parar no meio do alagamento, o que vem atrás parará também. O ideal é deixar uma distância segura para o outro veículo, de modo que seja possível desviar”.

Napolitano frisa que, após enfrentar alagamentos, é importante que o carro fique funcionando por um certo tempo, para a retirada da umidade do sistema. “O recomendável é revisar o veículo depois da enchente, limpar o sistema e substituir os fluídos. Itens como faróis, borrachas de vedação, pneus e desembaçador também devem ser checados”.
Entretanto, se o automóvel ficar “ilhado”, ambos os especialistas afirmam que o valor do conserto ficará bem mais pesado. “As seguradoras dão perda total em 90% dos carros que ficaram boiando nas enchentes. Agora, se o carro não é segurado e ficou alagado, não tem jeito: tem que desmontar o automóvel praticamente inteiro. E mesmo assim, o odor pode ficar impregnado no veículo”.

Fonte: Bolsacar

Inspeções periódicas em dia

quinta-feira, agosto 6th, 2009

Não é só antes de viajar que os motoristas devem se preocupar com a revisão do veículo. As inspeções regulares são igualmente importantes, uma vez que a maioria acaba rodando muito mais dentro de sua própria cidade do que em viagens. O nível do óleo, a água do radiador, os sulcos dos pneus, a lavagem do motor, a calibragem dos pneus e os cuidados com a bateria devem sempre estar em dia, para evitar surpresas desagradáveis.

Verificar o nível do óleo

Cheque o nível de óleo do motor a cada semana. Em local plano e com o motor frio, o nível correto deve ficar entre as marcas mínima e máxima da vareta. Óleo em excesso pode sujar as velas e o sistema de alimentação nos carros com carburador. A falta de óleo compromete a lubrificação das partes móveis internas, podendo causar o travamento ou desgaste prematuro do motor. Se tiver de completar o nível, utilize óleo da mesma marca, especificação e classificação da do óleo original.

Completar a água do radiador

Verifique o líquido do sistema de refrigeração (radiador e vaso de expansão) sempre com o motor frio, semanalmente, de preferência logo pela manhã. O nível correto deve ficar entre as marcas máxima e mínima do reservatório de expansão. Em caso de superaquecimento, espere o motor esfriar antes de completar o nível. Feito isso, ligue o motor e adicione a água fria aos poucos. Isso evita um choque térmico que poderia causar o empenamento do cabeçote e outros problemas .

Profundidade dos sulcos dos pneus

Desenhados para escoar a água em contato com a banda de rodagem, os sulcos dos pneus devem manter uma profundidade mínima de 1,6 mm. Abaixo dessa medida, passam a perder a aderência quando em contato com o chão molhado ou em condições de baixo atrito. Além disso, carros com pneus lisos estão sujeitos a multa na estrada.

Lavagem do motor nos postos

Os carros equipados com injeção eletrônica são mais sensíveis à água durante as lavagens. Por isso evite limpar o motor com muita frequência nos postos de abastecimento. A água sob pressão pode infiltrar nos terminais e sensores do sistema de ignição e bloquear o contato elétrico, impedindo o funcionamento do motor. Em modelos com central eletrônica instalada dentro do cofre do motor, pode haver uma pane nesse componente. Se a lavagem for inevitável, envolva a central eletrônica com um plástico e evite esguichar água sob pressão nos terminais.

Calibragem dos pneus

A calibragem dos pneus deve ser checada semanalmente, sempre com os pneus frios, de preferência pela manhã, no posto mais próximo de casa. Quando o carro está em movimento o atrito da roda com o piso aquece os pneus. Isso aumenta o volume interno de ar e faz com que a pressão se eleve, apontando uma medição alterada.

Cuidados com a Bateria

Nas baterias não seladas, verifique e complete o líquido a cada 30 dias, reduzindo essa frequência no verão, quando há maior evaporação. Use sempre água destilada, pois a água de torneira contém elementos químicos ou metais que podem comprometer a vida útil da bateria. Nas baterias seladas, o orifício de ventilação dos elementos deve estar sempre desobstruído para evitar o acúmulo de gases e uma eventual explosão.

Fonte: www.bolsacar.com.br

Atmosfera renovada dentro do carro

segunda-feira, junho 8th, 2009

Em um país de clima tropical, o ar-condicionado é fundamental para o conforto dos passageiros. Com o crescimento da violência, mesmo nas temperaturas mais amenas, o equipamento se torna imprescindível. O motorista pode rodar com os vidros fechados para aumentar a segurança. Mas para garantir um ambiente seguro e limpo, o proprietário do veículo deve tomar alguns cuidados. Confira as dicas a seguir.

Como funciona

O sistema funciona quase como um refrigerador. Ou seja, um compressor que é movimentado por uma correia, ligada ao virabrequim, aumenta a pressão do gás criando uma região fria, pela qual vai passar o ar empurrado pelo ventilador ao interior do veículo. Como o gás se expande e sua temperatura aumenta com a pressão, entra em cena o radiador, responsável pela condensação e transformação para o estado líquido. Nessa nova forma, o ar entra em uma válvula de expansão, que irá evaporá-lo, possibilitando que o ambiente fique resfriado.

Perdendo o fôlego

Como o compressor é movimentado indiretamente pelo virabrequim, o motor executa um esforço maior para acioná-lo, resultando em uma perda de potência de 3% a 7%. Nos motores de baixa cilindrada, existe um dispositivo ligado ao sistema de injeção que desliga automaticamente o compressor toda vez que o acelerador é pressionado. Nesse caso, o dispositivo “entende” que  a potência do motor deve ser totalmente aproveitada. Com o ar-condicionado ligado, o consumo aumenta cerca de 5%.

Filtro de cabine

Esse componente é reponsável por filtrar todo o ar que entra no veículo. O recomendável é a substituição no período de um ano, no máximo. Se demorar tempo para fazer a troca, motorista e passageiros sofrerão não só com o mau cheiro, mas com problemas de saúde, causados por fungos e bactérias. Além disso, as impurezas podem prejudicar o rotor de sistema de ventilação.

Recirculação

Quando a temperatura externa estiver muito alta, é aconselhável usar a recirculação para acelerar o resfriamento interno. Essa função é também útil quando se atravessam lugares com ar muito poluído. Mas seu uso prolongado não é aconselhável, pois o ar no interior não se renova.

Fumar enquanto a recirculação estiver ligada é abominável, pois a fumaça aspirada deposita-se sobre o evaporador, provocando odor desagradável. O ar também tem a função de desembaçar os vidros, pois desumidifica o ar. Para melhorar a visibilidade, o motorista pode virar o fluxo do ar totalmente para o parabrisa.

Fonte: Jornal de Santa Catarina