Posts com a Tag ‘Audi do Brasil’

Audi do Brasil anuncia novidades para o mercado de veículos premium

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

 

Audi do Brasil anuncia novidades para o mercado de veículos premium

Audi do Brasil anuncia novidades para o mercado de veículos premium

Pauta-3.1

 

As novas versões do A4 Avant e do A5 Sportback S-Line foram anunciadas pela Audi do Brasil como boas novidades para o mercado de veículos premium. O modelo A4 Avant, uma das station wagons mais desejadas do mundo, e o A5 Sportback S-Line, com visual ainda mais esportivo vêm para explorar os segmentos do mercado brasileiro.

Johannes Roscheck, presidente e CEO da Audi do Brasil, diz que o Audi A4 Avant é um carro icônico para a marca e oferece alternativa para o segmento. “É um dos veículos mais desejados pelos nossos clientes porque alia versatilidade no dia a dia com a esportividade característica da Audi, atendendo a diferentes demandas e entregando a incrível sensação ao dirigir”, comenta.

O motor TFSI entrega 190 cv de potência e torque de 320 Nm entre 1.450 e 4.200 rpm. Isto leva a um ótimo desempenho: aceleração de 0 a 100 km/h feita em 7,5 segundos e velocidade máxima de 239 km/h no A5 Sportback S-Line e 7,3 segundos e velocidade máxima de 240 km/h no A4 Avant.

O A5 Sportback S-Line oferece ainda um repleto pacote de atualizações que passa por design revitalizado e novos equipamentos disponíveis. O A5 traz ar-condicionado digital de três zonas, assentos esportivos e com ajuste elétrico nos bancos dianteiros, câmera de ré com sensores de estacionamento frontais e traseiros, controle de cruzeiro, chave presencial e partida por botão, entre outros itens.

Fonte: carsnews.meionorte.com

Novidades Audi

quarta-feira, 29 de abril de 2015

novidades

Mesmo as condições instáveis da economia ou a alta do dólar não fazem com que CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann, perca o otimismo em relação ao cenário em longo prazo no País. Hofmann já havia demonstrado todo o seu otimismo em relação ao cenário do segmento Premium no Brasil no “Direções”, Fórum de Tendências da Quatro Rodas, cuja primeira edição aconteceu em novembro do ano passado.

O CEO revela as próximas novidades da marca no mercado nacional. O próximo lançamento deve ser o novo TT, seguido pela linha A6 e A7 reestilizados, incluindo as versões RS. Hofmann ainda afirma que a versão de entrada do A6 será equipado com o motor de quatro cilindros 2.0 turbo (que, na versão americana, entrega 220 cavalos). No segundo semestre, começam as vendas do A3 Sedan Nacional, equipado com motor flex, e chega também a reestilização do SUV Q7. A versão nacional do Q3, que segundo o próprio Hofmann superou as próprias expectativas da Audi, virá apenas em 2016. Em 2014, a subsidiária brasileira foi a que apresentou os melhores resultados mundiais da Audi.

Fonte: Quatro Rodas

Mercado de carros premium cresce em tempos de crise

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Mercado-de-carros-premium-crescem-em-tempos-de-crise

O mercado brasileiro de carros premium deve triplicar até 2020, passando de aproximadamente 55 mil unidades, no ano passado, para 150 mil, segundo estimativa da alemã Audi, que projeta para 2015 uma expansão de dois dígitos no seu volume de vendas no País. A expectativa pode parecer excessivamente otimista, especialmente num ano em que as estimativas indicam retração da economia, mas o CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann, contra-argumenta que mesmo passando dos atuais 2% para 6%, a participação dos veículos de luxo ainda estará muito aquém da realidade de outros mercados emergentes.

“Esse market share de 2% é totalmente atípico. Na China, por exemplo, os carros premium representam 10% do mercado”, compara o executivo. Em mercados mais maduros, como o alemão, esse percentual alcança 30%, acrescenta Hofmann. No Brasil, a meta é chegar a 30 mil unidades vendidas em 2020, mais que o dobro do total atingido em 2014 (12.489). Para avançar num mercado automobilístico em retração, a marca pertencente à Volkswagen trabalha com um planejamento que combina — entre outros ingredientes — a produção local (a versão sedã do modelo A3, com motor 1.4 flex, está prevista para setembro ou outubro) com a expansão da rede de concessionárias e a oferta de outros modelos de financiamento, para driblar a alta nas taxas básicas de juros.

No próximo mês, a empresa lança no País uma nova versão do A6, ainda produzido no exterior, com motor de quatro cilindros em vez de seis. Para o próximo ano, está prevista a fabricação em São José dos Pinhais (PR) do utilitário de linhas esportivas Q3. Em termos de distribuição, a estratégia da Audi inclui uma ampliação de 75% na sua rede de concessionárias entre 2015 e 2017, equilibrando quantidade e lucratividade. “Em média, cada uma das nossas concessionárias no País vendeu 250 carros no ano passado. Queremos chegar a 500 em 2017”, conta Hofmann. A marca terminou 2014 com 40 lojas espalhadas pelo País, inclusive em capitais do Norte e Nordeste. Até o fim de 2017, o número deverá subir para 70.

Embora cerca de 50% dos compradores brasileiros paguem seu Audi à vista, a empresa se esforça para atrair (também) um público disposto a dar uma entrada bem mais suave que o padrão de 60% do valor do carro cobrado nos contratos com taxa zero de juro. “Juro zero é muito caro”, admite Hofmann, referindo-se à distância entre a taxa praticada pelas montadoras e a Selic, atualmente em 12,75%. No caso da Audi, a saída foi lançar em setembro um produto financeiro em que o cliente pode adquirir o carro novo com entrada mínima de 20% e mais 23 parcelas, que totalizam outros 30% do valor do veículo. O pagamento da 24ª parcela fica a critério do cliente, que pode desembolsar os 50% necessários para quitar o carro ou, então, oferecer o veículo para recompra de uma concessionária da marca alemã. “É uma forma que achamos para ganhar novos clientes”, justifica o presidente da Audi do Brasil. Ao mesmo tempo em que mira um público consumidor entrante no segmento premium, a empresa não perde de vista os compradores no topo da Classe A — as vendas dos modelos ultraluxuosos triplicaram no Brasil em 2014. De um modo geral, a Audi cresceu 22,2% no primeiro trimestre deste ano, em número de unidades vendidas no Brasil, ante igual período de 2014.

Fonte: Brasil Econômico

Sucesso em vendas

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Sucesso-em-vendas

Mantendo um acelerado ritmo de negócios em 2014, a Audi do Brasil encerrou o mês de agosto com vendas de 1.172 unidades, o que representou uma alta de 59% em comparação com o mesmo mês de 2013 e um crescimento de 11% em relação a julho deste ano, quando vendeu 1.048 veículos.

“Esse tem sido um ano no qual estamos registrando um ótimo desempenho de vendas no Brasil, seguindo uma tendência global da marca. Estamos comemorando nossos 20 anos no País comercializando modelos de classe mundial e apresentando oportunidades interessantes de compra para o consumidor. Isso tem se refletido no nosso volume de negócios”, justificou o presidente e CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann.

No acumulado de 2014, a Audi já entregou aos clientes brasileiros 8.449 veículos, o que significa um desempenho 110% superior ao registrado entre janeiro e agosto de 2013. Para Hofmann, esse avanço nos negócios foi um dos principais motivos que fizeram com que a Audi fosse eleita “A Marca Mais Desejada” em pesquisa da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), realizada com os concessionários de todas as marcas do Brasil. A escolha, feita entre maio e julho deste ano, teve a participação mínima de 25% das revendas de cada rede.

Em 2014, a Audi fez uma completa renovação de seu portfólio. Apresentou ao mercado diversos produtos que já se tornaram objeto de desejo dos brasileiros, como o RS Q3, o S3 Sportback (da família A3) e o superpotente RS7, um V8 de 560 cv.  Além disso, as ruas locais tiveram como novidade o exclusivo A1 Kult e duas versões do A3 Sedan, a 1.8 TFSI e a 1.4 TFSI.

Fonte: Audi Brasil.