Posts com a Tag ‘Brasil’

Tem novidade chegando ao Brasil: o Audi Q8

terça-feira, 20 de agosto de 2019

 

O modelo estará disponível em duas versões diferentes: Performance e Performance Black

O modelo estará disponível em duas versões diferentes: Performance e Performance Black

 

Audi anunciou a chegada do Q8 às lojas brasileiras. O modelo é dotado de um sistema “híbrido leve”, que combina ao motor a combustão um sistema elétrico de 48V para auxiliar na eficiência do veículo, como em saídas mais rápidas e condução mais econômica. Entre 55 e 160 km/h, por exemplo, o veículo pode se deslocar com o motor a combustão totalmente desligado.

O Q8 estará disponível em duas versões: a Performance e a Performance Black. A Performance parte de R$ 471.990, no lançamento, e passará a custar R$ 494.990 após a ação promocional. De série: teto solar elétrico panorâmico, piloto automático adaptativo, ar-condicionado de 4 zonas, suspensão dinâmica, faróis full LED com facho alto automático, seletor de modos de condução, câmera 360°, monitoramento de pressão dos pneus e rodas de 21 polegadas.

Há, ainda, a central multimídia com sistema de navegação nativo, Android Auto e Apple CarPlay e quadro de instrumentos digital.

A versão Performance Black parte de R$ 503.990 no lançamento – depois sairá por R$ 531.990 – e acrescenta sistema de som Bang & Olufsen, detalhes externos em preto brilhante, pacote visual S-Line, pinças de freio pintadas de vermelho.

As duas versões têm como opcionais a pintura metálica e as rodas de 22 polegadas , além dos faróis full LED matrix HD , suspensão a ar adaptativa e pacote de tecnologia.

Estão disponíveis também os pacotes Audi Side Assist (com alerta de mudança involuntária de faixa, aviso de perigo ao sair do veículo, alerta de tráfego cruzado traseiro e Pre Sense, que prepara o veículo na iminência de colisões) e Tecnológico (head up display, eixo traseiro dinâmico com esterçamento e visão noturna).

Ao todo são 11 opções de cores para a carroceria do Q8: dois tons de azul, dois tons de branco, dois tons de preto, dois tons de cinza, prata, marrom e laranja.

 Ficou interessado? Passe na Audi Center e confira o Q8.

Fonte: g1.glogo.com/carros/noticia

Audi inicia as vendas do Q3 fabricado no Brasil

segunda-feira, 4 de julho de 2016
newsaudiq3

A produção nacional do Q3 reforça o compromisso da Audi com o Brasil

Produzido em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR), o SUV Q3, líder no mercado premium nacional em 2015, chegou as concessionárias, no mês passado. Ele está sendo oferecido nas versões Attraction e Ambiente, ambas equipadas com o premiado motor 1.4 TFSI a gasolina, com 150 cv de potência. “O Q3 é um modelo muito importante para a nossa estratégia de crescimento em longo prazo no Brasil. A produção nacional reforça nosso compromisso com o País”, afirma o presidente e CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann.

Na linha para produção do modelo, máquinas e robôs de alta tecnologia garantem os mais altos padrões de qualidade consagrados nas fábricas da Audi mundo afora. Além disso, a Audi investiu em treinamento intensivo dos operadores em conjunto com a matriz, na Alemanha, e recebeu todo o suporte e “know how” de outras plantas da marca. Sucesso mundial desde seu lançamento em 2011, o Q3 passou por uma grande renovação e meados do ano passado. Tanto que foi o líder de vendas em 2015 do segmento dos SUVs premium, com 6.097 emplacamentos, correspondendo a um terço das vendas da marca no período. O Q3 2017 é oferecido nas versões Attraction, com preço sugerido de R$ 142.990, e Ambiente, por R$ 153.990,00. A top de linha Ambition começa a ser vendida no País no segundo semestre deste ano.

newsaudiq32

A produção nacional do Q3 reforça o compromisso da Audi com o Brasil

Continue lendo aqui.

Audi entra em 2016 como a marca premium número 1 no Brasil

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Pauta-1De acordo com o diretor comercial da Audi Center, Marcos Reis, a participação no mercado premium aumentou em 49% na relação dezembro de 2015 X dezembro 2014 em Santa Catarina

A Audi adentrou em 2016 com uma grande conquista no Brasil: a liderança no mercado premium alcançada em dezembro de 2015. Com um recorde histórico de vendas de 17.536 emplacamentos, o crescimento apresentado pela marca foi de 40% em relação ao ano anterior – apesar da crise. Em 2013 a Audi era a quarta no ranking de vendas das marcas premium no Brasil e no final de 2015 atingiu o primeiro lugar, com cerca de 40 carros à frente da segunda colocada. Agora, para 2016, segue a dedicação para manter o bom desempenho de 2015.

As vendas de carros de luxo seguem em alta, mesmo com a situação econômica desfavorável no País. De acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), a venda de carros premium cresceu 20,8% só nos oito primeiros meses de 2015, na comparação com o mesmo período de 2014. A venda de carros Premium é voltada para um público específico, que corresponde a cerca de 6% do volume de negócios do mercado automotivo brasileiro.

“Vamos ter orgulho de trabalhar para a marca vencedora! Vamos continuar a trabalhar com base na confiança e lealdade e trabalhar em direção aos 20.000 carros em 2016”, destacou o presidente e CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann.

Em Santa Catarina, a Audi fechou o mês de dezembro com 39% de Market Share. A participação no mercado premium aumentou em 49% na relação dezembro de 2015 X dezembro 2014 no Estado. A marca apresentou um crescimento de 32,1% no número de veículos vendidos e faturados no território catarinense em dezembro de 2015 em comparação a dezembro 2014 (107 em dezembro/15 X 81 dezembro/14).

Segundo o diretor comercial da Audi Center, Marcos Reis, os modelos campeões em vendas da marca em Santa Catarina são o Q3 e o A3. Por ser SUV, o Q3 é um modelo muito procurado no mercado. Com o lançamento do A3 Sedan, no ano passado, a marca passou a disponibilizar o modelo que não tinha na gama até então. “Hoje é o principal carro de acesso à marca. O A3 Sedan, que vem com um valor muito interessante, surgiu como uma ótima opção para quem procurava um sedan de luxo. O modelo foi um ‘boom’ de vendas, com sucesso acima do esperado”, conta Reis.

O diretor complementa que o Grupo Breitkopf, que é o detentor das concessionárias Audi Center em Santa Catarina, é muito conhecido e a boa reputação faz muita diferença. “Existe uma confiança muito grande tanto na Audi e quanto no Grupo Breitkopf”, afirma.

Reis diz que o diferencial da marca é o relacionamento, o que resulta na fidelização dos que já são clientes e traz novos clientes também. “Prezamos muito pelo atendimento com carinho, dedicação e honestidade. A nossa maior propaganda é o relacionamento”, explica. Ele também destaca que o grupo toma cuidado para ter sempre os estoques abastecidos, com disponibilidade imediata de carros. “A Audi, por sua vez, fez várias campanhas durante o ano todo. A soma desses fatores contribuiu para o número de vendas em 2015”, complementa.

Por dentro do novo escritório da Audi em São Paulo

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Pauta-3---escritorio-audi

Há dois anos, a Audi decidiu mudar o seu posicionamento no Brasil e se transformar de uma distribuidora em uma fabricante local de veículos. Foi o quando o atual presidente da companhia no país, o alemão Jörg Hofmann, assumiu o posto e também foi anunciada a construção de uma nova linha de produção na fábrica de São José dos Pinhais (PR), que começou a operar em outubro deste ano. As atividades da marca na planta tinham sido interrompidas em 2006.

De lá para cá, a empresa cresceu bastante. Em 2013, vendeu 6.000 carros por aqui. No ano passado, foram 12.500. Por conta disso, ela passou de quarta colocada a líder no segmento automotivo premium.

Com novas contratações – o time saltou de 65 pessoas para 150 – o antigo escritório administrativo já não comportava mais a equipe e outro precisou ser construído. No novo espaço físico da montadora em São Paulo, a preocupação com design, característica marcante nos carros da marca, e o ambiente aberto e descontraído são destaques do local.

O novo escritório da Audi funciona na região do Morumbi, em São Paulo, há pouco mais de três meses. Ele tem 1.805 metros quadrados.

Pauta-3---escritorio-audi2

Junto com a mudança do espaço físico, veio também uma transformação da cultura. “Percebi que a comunicação não funcionava muito bem e quis tornar o ambiente aberto. Me envolvi em todos os detalhes”, conta o presidente da empresa no Brasil, Jörg Hofmann.

Cerca de 150 funcionários trabalham no local. Há dois anos, o time era de 65 pessoas. A média de idade da equipe é de 36 anos.

Pauta-3---escritorio-audi3

Setores que tratam de assuntos confidenciais, como jurídico e RH, entretanto, ficam separados. O mesmo acontece com a central de relacionamento com o cliente, que precisa de silêncio para funcionar. O presidente e os diretores também têm salas próprias.

Pauta-3---escritórioaudi4

Informal, o presidente Jörg Hofmann diz que dá poder aos funcionários para que eles se virem sozinhos, mas que qualquer um está autorizado a ir até seu escritório para discutir a solução de um problema, se necessário. Todas as sextas-feiras, ele encaminha uma mensagem para o time inteiro com informações sobre a semana que se encerra e as expectativas para as próximas. “As pessoas precisam estar informadas sobre as estratégias”, afirma. A cada três meses, uma reunião presencial é realizada para tratar do assunto.

Pauta-3---escritórioaudi5

Pauta-3---escritórioaudi5.1

Os modelos Audi estão presentes por todo canto “para que as pessoas não se esqueçam com o que trabalham”, diz Hofmann.

Pauta-3---escritorio-audi6

O escritório foi projetado ainda com diversas curvas, elemento padrão no design da marca. “A Audi é feita de curvas. E nossos móveis foram desenhados sob medida para lembrar disso”, disse Hofmann.

Pauta-3---escritorio-audi7

No escritório, há seis pequenas salas de reunião e uma grande, central. Elas foram batizadas com nomes de modelos Audi.

Pauta-3---escritórioaudi8

Ainda com o objetivo de facilitar a comunicação, a área de descompressão da empresa foi projetada para ser um ponto de encontro dos funcionários. Com vista para a ponte estaiada, na marginal Pinheiros, o espaço conta com mesas de sinuca e pebolim e até um bar.

Pauta-3---escritórioaudi9

Uma vez por mês, um happy hour é realizado no bar para celebrar os resultados da companhia, com comidas e drinks liberados. Nos demais dias, o café e os petiscos são grátis, mas as bebidas alcóolicas precisam ser pagas, com um subsídio de 50%.

Pauta-3---escritórioaudi10

Todos os funcionários da Audi podem dirigir um carro da marca, ainda que não consigam comprá-los. A empresa mantém, para a equipe, um sistema próprio de aluguel de veículos a preços bem abaixo do mercado. Custos com emplacamento, seguro e manutenção estão inclusos no contrato. “Todo mundo merece essa experiência. Nós queremos ser um empregador atrativo e, para isso, precisamos ter funcionários felizes. Nossa taxa de rotatividade é praticamente zero”, diz Hofmann.

A companhia também banca totalmente aulas de inglês para os empregados. Elas podem ser ministradas no escritório ou em escolas de parceiras. Para aprender alemão (idioma natal da Audi), há um subsídio de 50%. “Fazemos até algumas reuniões em inglês para o pessoal treinar. É uma forma de incentivar a carreira internacional dentro da empresa”, conta Hofmann.

Fonte: Exame.com

Créditos fotos: Luísa Melo/EXAME.com

Profissionais do Grupo Breitkopf concluem capacitação da Audi Brasil

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Pauta-2---Gustavo-FlorianópolisO colaborador Gustavo (ao meio), da Audi Center Florianópolis, também já está com o certificado. Na foto, ele aparece ao lado do chefe de oficina, Rodrigo Botelho (à direita), e do gerente de pós-vendas, Sidnei Barcarol (à esquerda).

Pauta-2---Mario-JoinvilleMário Fernandes Júnior, colaborador da Audi Center Joinville, concluiu a capacitação e recebeu o certificado das mãos de Fernanda Glen, da Administração.

Pauta-2---Sidnei-BlumenauDa Audi Center Blumenau, o colaborador Sidnei Koch (à esquerda) já recebeu o certificado. Na foto, ele aparece com o chefe da oficina, Marinho da Silva.

O Grupo Breitkopf investe não só na estrutura e ferramentas, mas também no seu ativo mais importante, as pessoas. No mês de dezembro os colaboradores da Audi Center Blumenau, Sidnei Koch, da Audi Center Florianópolis, Gustavo Silva de Melo, e da Audi Center Joinville, Mário Fernandes Júnior, receberam o certificado de capacitação Técnico de Serviço Master, realizado em nove fases ao longo de todo o ano de 2015.

O treinamento ocorreu no centro de treinamentos da Audi Brasil, em São Paulo. Com aprendizados teóricos e práticos, os participantes tiveram contato com professores treinados na matriz da Audi na Alemanha, simulando situações que podem ocorrer com o veículo no que se refere à mecânica e manutenção.

“Para a diretoria e a gerência, é motivo de muita satisfação e orgulho contar com profissionais desse nível, com uma capacitação certificada pela Audi Brasil. Isso significa que temos mão de obra de padrão muito elevado para atender à altura da marca, deixando nossos clientes extremamente satisfeitos”, afirma o diretor de pós-vendas da Audi Breitkopf, Rafael Sardagna.

Audi inicia produção no Brasil

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Pauta-2---foto-2Executivos da Audi na planta da marca no Brasil, em São José dos Pinhais (Paraná), da esquerda para a direita, Peter Will, Diretor de Manufatura da planta; Dr. Georg Richartz, Diretor de Produção Internacional da marca; Prof. Dr. Ing. Hubert Waltl e Dr. Bernd Martens, membros do board da AUDI AG para produção e compras; e Jörg Hofmann, Presidente e CEO da Audi do Brasil

 

A AUDI AG iniciou a produção de veículos em São José dos Pinhais, no Estado do Paraná. A mais recente das 13 produções da Audi pelo mundo é a única na América do Sul. O integrante do Conselho Administrativo da AUDI AG responsável por compras, Dr. Bernd Martens, diz que a empresa enxerga um enorme potencial no mercado brasileiro. “Nossa meta é manter nossa posição entre os líderes do segmento premium no longo prazo. Em nossa estratégia de crescimento global, vamos utilizar o potencial de alto valor agregado no Brasil. Assim como o A3 Sedan, também produziremos o Q3 em São José dos Pinhais e vamos adquirir localmente tantos componentes quanto possível”.

O A3 Sedan 1.4 TFSI Flex produzido em São José dos Pinhais é o primeiro modelo da Audi com motor bicombustível. Esse tipo de motor pode rodar com gasolina, etanol ou ambos os combustíveis simultaneamente.

O Brasil é o maior mercado no mundo para motores flex. Mais de 90% de carros novos licenciados no País contém essa tecnologia. A Audi entregará os primeiros modelos A3 Sedan para seus clientes a partir novembro de 2015.

“Com a produção local do A3 Sedan e, alguns meses depois, do Q3, estaremos em uma posição ideal para satisfazer os desejos de nossos clientes brasileiros”, afirma Jörg Hofmann, presidente e CEO da Audi do Brasil. “Desde o lançamento do modelo no mercado, em 2014, mais que dobramos nosso volume de vendas no Brasil e somos líderes de mercado no segmento de compactos premium. Esta é uma forte confirmação de que nós escolhemos os modelos certos para produzir no País”. A Audi mantém sua estratégia de expansão internacional com a fábrica no Brasil. Em 2016, a marca premium alemã irá inaugurar uma planta no continente norte-americano, em San José Chiapa, no México.

Pauta-2---foto-1

 

Consumo de combustível do modelo acima:

Audi A3 Sedan 1.4 TFSI Flex

Consumo de combustível combinado (em km/l)

Gasolina: cidade 11,71, estrada 14,31;

Etanol: cidade 7,8, estrada 9,9;

Índice de emissões de CO2: 105 g/km

Fonte: Audi Brasil

Número de veículos emplacados pela Audi em outubro de 2015 foi 10% superior que no mesmo mês do ano passado

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Pauta-1---foto

Outubro foi finalizado com o forte resultado de 1.422 emplacamentos da Audi no Brasil, 10% a mais do que no mesmo mês de 2014. No total, foram vendidos 13.860 carros em 2015 (1.400 carros a mais do que o total do ano passado). Esse resultado representa um crescimento de 36% comparado ao ano passado, apesar da estagnação da economia brasileira e da queda contínua de 23% do mercado total.

Quando o assunto é pós-vendas, foram contabilizados R$ 6,7 milhões de receita em peças e acessórios em outubro. No acumulado, já foram vendidos R$ 64,7 milhões, 42% mais que no mesmo período de 2014.

Com esses resultados, a Audi está em uma corrida acirrada pela posição número 1 no mercado premium no Brasil.

Audi permanece em forte crescimento no Brasil

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Malagrine

A Audi do Brasil continua mantendo um bom desempenho no País. Em julho, o número de emplacamentos foi de 1.267 unidades, o que representa um aumento de 53,8% nas vendas em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, o crescimento foi de 30,4% sobre 2014, totalizando 9.063 veículos comercializados nos sete primeiros meses de 2015.

Para o segundo semestre, a Audi prepara diversas novidades para o mercado nacional, como a chegada das famílias de A6 e A7 reestilizadas nas concessionárias, além do lançamento dos novos A1 e TT Roadster.

A inauguração da linha de produção da montadora em São José dos Pinhais, no Paraná, marcada para o final de setembro, também contribuirá para os planos de consolidação da marca no Brasil. Na fábrica, será produzido inicialmente o A3 Sedan 1.4 TFSI Flex, o primeiro carro da Audi no mundo a contar com tecnologia bicombustível. A partir de 2016, o SUV compacto Q3 será produzido no local.

A empresa também investe em pós-vendas, com aportes de R$ 12 milhões até o próximo ano. Entre as áreas beneficiadas estão o Centro de Treinamento e Competência Tecnológica, em São Paulo, e a expansão da capacidade de armazenamento em 117% do Centro de Distribuição e Peças, na cidade de Jundiaí, interior paulista.

Outro fator que faz parte da estratégia da Audi é a expansão da rede de concessionárias. A marca, que está presente em todos os estados do Nordeste, se prepara para inaugurar em agosto revendas nas cidades de Bauru, em São Paulo, e Manaus, no Amazonas. Há ainda previsão de abertura de novas lojas nas regiões Sudeste e Sul. A montadora fechará o ano de 2015 com 50 concessionárias no país.

“Este foi o melhor mês de julho da história da Audi do Brasil. Apesar dos efeitos da crise econômica, temos um projeto de longo prazo no país que vem se mostrando efetivo. Dessa forma, reforçamos nossa estratégia de 360 graus, que envolve alinhamento do nosso portfólio com os últimos lançamentos no mercado europeu, preços competitivos, planos de investimentos em pós-vendas e abertura de novas revendas em todo o país, mantendo um crescimento de forma sustentável. Nossa meta é vender 30 mil carros por ano até 2020”, afirma Jörg Hofmann, presidente e CEO da Audi do Brasil.

Fonte: Audi Brasil

Audi inicia a produção do A3 Sedan no Brasil em setembro

quinta-feira, 30 de julho de 2015

a3__12

A Audi iniciará a produção do A3 Sedan no Brasil no mês de setembro, quando o modelo sairá da fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná. O A3 Sedan brasileiro ganhará um inédito motor 1.4 TFSI turbo bicombustível – será o primeiro veículo da marca no mundo com motorização flex, que será compartilhado com modelos da Volkswagen, marca que faz parte do mesmo grupo que a Audi.

O motor 1.4 flex do A3 Sedan terá 150 cavalos de potência, contra os 122 cv do motor turbo a gasolina que equipa o modelo atualmente importado para o Brasil. O A3 Sedan 1.8 continuará vindo da Hungria, com propulsor 1.8 a gasolina (180 cv).

O A3 Sedan feito no PR será idêntico ao importado, com exceção, claro, do motor flex. Bernd Martens e Prof. Dr. Ing. Hubert Waltl, membros do board da AUDI AG para compras e produção, respectivamente, visitaram a linha da marca na planta de São José dos Pinhais, no mês de junho. Os executivos participaram da cerimônia para colocação do logotipo da Audi no prédio principal da planta.

O Presidente CEO da Audi do Brasil, Jörg Hofmann, também acompanhou a visita com Peter Will, diretor de Manufatura da planta, e Dr. Georg Richartz, diretor de Produção Internacional da marca. Os executivos destacam que a linha está em fase final de implementação e adequada aos padrões internacionais de qualidade da Audi Production System (APS).

A capacidade de produção total do A3 Sedan e do Q3 (que será fabricado no Brasil a partir de 2016) será de 26 mil unidades por ano.

Pauta A3Sedanno BrasilExecutivos da Audi na planta de marca no Brasil, em São José dos Pinhais (Paraná), após o logo da Audi ser colocado no prédio principal. Na foto, da esquerda para a direita, Peter Will, Diretor de Manufatura da planta; Dr. Georg Richartz, Diretor de Produção Internacional da marca; Prof. Dr. Ing. Hubert Waltl e Dr. Bernd Martens, membros do board da AUDI AG para produção e compras; e Jörg Hofmann, Presidente e CEO da Audi do Brasil

Fontes: Audi e G1

Audi é recordista e lidera vendas de automóveis em maio deste ano

terça-feira, 30 de junho de 2015

record_maio_RS6_

Apesar do atual cenário desafiador da economia no Brasil, a Audi encerrou o mês de maio com os melhores resultados de vendas automobilísticas em todo o País. De janeiro a maio, foram mais de 6,3 mil unidades vendidas, e somente no último mês foram 1.358 veículos. A empresa está com 0,71% de participação no mercado brasileiro de automóveis. O percentual de vendas da montadora cresceu em 26,8% comparado ao mesmo período de 2014.

record_maio_RS7

O segmento de veículos premium aumentou 12% no acumulado desses cinco meses, mesmo diante da queda de quase 21% das vendas de veículos novos. “Apesar das adversidades do setor, este foi o melhor mês de maio da história da Audi no Brasil. Mantivemos a liderança do mercado premium e continuamos firmes com a nossa meta de alcançar crescimento de dois dígitos em 2015 e chegar a 30 mil unidades por ano até 2020”, afirma Jörg Hofmann, presidente e CEO da Audi, Brasil.

Fontes: Audi , Auto Esporte Globo e Automotive Business