Posts com a Tag ‘consorciados’

Veja como utilizar o saque do FGTS no consórcio

terça-feira, 20 de agosto de 2019

 

Em virtude do valor liberado pelo Governo Federal para o FGTS, esses recursos têm maior potencial para contribuir com os consorciados

Em virtude do valor liberado pelo Governo Federal para o FGTS, esses recursos têm maior potencial para contribuir com os consorciados

 

A previsão do Governo Federal é que o saque do FGTS e do PIS/PASEP injete R$ 42 bilhões na economia até o fim de 2020. Em virtude do valor liberado para o FGTS, esses recursos têm maior potencial para contribuir com os consorciados que possuem cotas nos segmento de bens móveis duráveis, em virtude dos tíquetes médios serem menores.

Preparamos quatro dicas para ajudar os consorciados a utilizarem esse recurso no consórcio.

Oferte lances

Ainda está aguardando contemplação? Você pode utilizar o valor sacado para oferecer o valor integral ou até complementar sua reserva financeira para ofertar um lance maior. Caso seu lance seja vencedor, o valor ofertado será abatido do saldo devedor, dependendo das regras estabelecidas em contrato.

Antecipe prestações

Com o valor sacado você pode amortizar seu saldo devedor, quitando as prestações vincendas a contar da última

Regularize sua situação

Caso o consorciado esteja em situação de inadimplência, a sugestão é aproveitar o valor sacado para fazer a regularização. Quitando as prestações em atraso, você volta a participar dos sorteios e garante sua contemplação, caso sua cota seja sorteada

Fonte: blog.abac.org.br

Veículo seminovo

quinta-feira, 22 de junho de 2017
O custo-benefício que mais atrai consorciados

O custo-benefício que mais atrai consorciados

 

Ar-condicionado, bancos com ajustes de altura, chave canivete, conectividade via Bluetooth. Na hora de sonhar com o carro novo, o céu é o limite. Mas nem sempre o bolso consegue acompanhar o desejo de colocar um zero quilômetro na garagem. Para quem valoriza mais os opcionais do que o cheirinho de novo, os carros seminovos têm sido uma boa escolha. E, para os consorciados, essa opção também é válida, já que depois da contemplação, a carta de crédito vale tanto para compra de novos, quanto de seminovos.

 

Vez dos seminovos

É possível sim ser contemplado e usar o dinheiro de um carro novo básico para comprar um carro seminovo com mais opcionais e potência. Segundo informações da Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores), um item importante é o resultado acumulado no quadrimestre, se comparado com o mesmo período de 2016, o mercado de seminovos apresentou um aumento de +6,2%. Mais uma vez os veículos com até três anos de uso foram os mais procurados pelos consumidores. No quadrimestre de 2017, o resultado foi de 22% a mais. A comparação entre abril de 2016 e abril de 2017 teve um resultado positivo de 11,9%.

 

Consórcio: território seguro

Os juros sempre foram um ponto de atenção na hora de se comprometer com um financiamento bancário. Mas em tempos de orçamento mais curto e incertezas na economia, comprometer a vida financeira com custos altos para comprar um bem fica ainda mais arriscado. O consórcio então sai na frente como a compra planejada com menos custos para conquistar o carro. Uma vantagem de se optar pelo consórcio, além de fugir das taxas exorbitantes cobradas pelos bancos, é a facilidade, menos burocracia, e ainda poder de escolha do seminovo quando for contemplado.

Fonte: Breitkopf Veículos

 

 

Queda do IPI beneficiou quem optou por consórcios

quinta-feira, 19 de julho de 2012

A redução do IPI de veículos anunciada pelo governo no dia 21 de maio suscitou dúvidas em quem estava pagando financiamento ou em vias de comprar um carro. Quem pagou à vista ou já estava financiando na ocasião, não terá nenhum benefício com as mudanças. Já os consorciados que, na data do anúncio já tinham a carta de crédito na mão, mas não haviam adquirido o carro, acabaram se saindo bem.

De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios ( ABAC ), a carta de crédito concedida antes da redução dos preços dos carros ainda não previa esse corte. Portanto, ela terá um poder de compra maior. Ainda segundo a ABAC , o consorciado contemplado poderá usar a carta de crédito para quitar o carro e utilizar os recursos restantes para pagar pela documentação e até abater as parcelas futuras do consórcio.

Quem já estava em um consórcio, mas ainda não havia sido contemplado, será beneficiado, porém em menor escala. A queda no preço do veículo será revertida em uma queda proporcional no valor das parcelas e, consequentemente, no valor da carta de crédito. Isso porque as cartas de crédito tomam como referência os preços reais dos veículos. Portanto, esse consumidor será beneficiado como qualquer outro que quisesse comprar o carro à vista, por exemplo. A diferença é que estará pagando o carro parceladamente, antes de comprá-lo de fato.

Vendas de Consórcios superam a marca de 2 milhões de cotas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

crescimento

O Consórcio brasileiro encerrou 2011 com uma grata surpresa: o sistema caiu no gosto da população e atingiu a marca de 2 milhões de cotas vendidas, registrando uma alta de 20,7% nos dez primeiros meses de 2011. Junto com esse crescimento vieram os novos consorciados, que hoje somam cerca de 4,6 milhões.
Até o final de 2011 o volume de negócios superou R$ 62 bilhões, mais de 20% acima do registrado no mesmo período de 2010, quando atingiu R$ 51,2 bilhões. Para 2012 o sistema espera um crescimento entre 7% e 9%.
O setor de automóveis foi o maior responsável pelo crescimento, representando 84,8% dos novos participantes. Em segundo lugar destaca-se o setor de imóveis, com 612,3 mil novos consorciados.
As contemplações, momento em que os consorciados têm a oportunidade de realizar seu objetivo, somaram 898,8 mil, de janeiro a outubro de 2011. Em relação aos dez meses de 2010, o acumulado foi 10,6%, bem acima das 812,5 mil anteriores.
Para Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios ABAC, “os números demonstram que o consumidor tem encontrado no consórcio uma forma inteligente de poupar, com objetivo definido. Ao participar de um grupo, o consorciado torna-se poupador, comprometido com o pagamento das parcelas mensais e podendo ser contemplado por sorteio ou lance. Com o crédito em mãos, passa a ter o poder de compra à vista. Nesse perfil de negócio, o consórcio torna-se a melhor opção. Isso tem feito com que o Sistema cresça gradativamente e de forma consolidada”.
Fonte: ABAC

Jantar entre Amigos da Manecar conta com presença do Consórcio Breitkopf

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

materia02_01

O Consórcio Breitkopf participou no dia 26 de agosto de mais uma edição do Jantar Entre Amigos da Manecar – concessionária Uvel. O evento aconteceu nas dependências da própria empresa, na Avenida Marechal Floriano, cidade de Tijucas.

Na ocasião, o grupo realizou a Assembléia de Consórcios, onde foram sorteados os grupos de consorciados. A parceria entre a Manecar Veículos e o Consórcio Breitkopf tem atingido um grande número de participantes nos grupos de consórcios.

“A participação dos consorciados durante os sorteios dos grupos, mostra que a credibilidade é muito maior a cada evento realizado” ressalta Sidney Cardoso, Gerente de Vendas do Consórcio Breitkopf.

materia02_03

materia02_02

Vendas de novas cotas superam um milhão no semestre

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Vendas de novas cotas superam um milhão no semestre

A entrada de novos consorciados no primeiro semestre deste ano superou a marca de um milhão, 10,1% mais que o atingido no mesmo período em 2009. Naquele ano, foram comercializadas 926 mil, enquanto em 2010, o total foi de 1,02 milhão.

“Diversos fatores contribuíram para esse crescimento como a inexistência de juros, as novas modalidades de utilização do FGTS no consórcio de imóveis, a maior presença das classes C e D, o planejamento do consumidor, seu questionamento sobre a necessidade imediata ou não da aquisição do bem”, explica Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios).

A mudança de comportamento do brasileiro tem transformado parte de seu salário em consórcio, uma poupança carimbada e com objetivo determinado. Ao adquirir um carro ou um imóvel, o consumidor analisa e compara os custos e busca fazer o melhor negócio patrimonial. “Essas atitudes confirmam o sistema como a melhor alternativa em constituir ou ampliar o patrimônio pessoal ou familiar, melhorar a qualidade de vida, deixando de lado a compra por impulso, aquela que por vezes somente o valor da parcela dentro do bolso era considerada. Um exemplo dessa atitude está no crescimento do valor médio de uma cota de automóvel. Em junho do ano passado, ele era de R$ 27.700,00; hoje, chega aos R$ 39.700,00, uma diferença superior a 40%”, continua Rossi.

A segurança no emprego em uma economia aquecida também é apontada pela ABAC como razão para o aumento no interesse pelos consórcios. Nos seis primeiros meses do ano, os dados do Sistema de Consórcios registraram um crescimento no número de participantes que atingiu 3,88 milhões, 6% maior que os 3,66 milhões contabilizados há um ano, de acordo com a assessoria econômica da ABAC.

As contemplações, momentos em que os consorciados podem utilizar os créditos para aquisição de bens ou serviços e, portanto, realizar seus sonhos, totalizaram 477,6 mil, no primeiro semestre, 2,5% maior que as 465,8 mil ocorridas nos mesmos seis meses de um ano antes.

A confiança no Sistema tem sido evidenciada em todos os setores onde os consórcios estão presentes como nos imóveis, veículos automotores, eletroeletrônicos e serviços. O volume de negócios chegou a R$ 28,5 bilhões (jan-jun/2010), 33,2% mais que os R$ 21,4 bilhões (jan-jun/2009), anteriores.

“Seja na ampliação dos negócios, seja no crescimento do valor médio da cota, a procura pelo mecanismo mostra-se cada vez mais presente na vida do brasileiro. Exemplo como o dos eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis confirma essa situação. No mês de junho de 2009, o consumidor buscava uma cota de consórcio de eletroeletrônico no valor médio de pouco mais de R$ 1.500,00. Um ano depois, a procura é por cota média de quase R$ 3.700,00, com mais de 140% de diferença. Trata-se portanto de uma decisão consciente de quem não quer pagar juros desnecessariamente e nem se endividar impulsivamente”, completa o presidente da ABAC.

Fonte: ABAC

Participação dos consórcios duplica no mercado motociclístico

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A participação das contemplações dos consórcios, realizadas no primeiro semestre deste ano, registrou a marca de 41,5% nas vendas do mercado interno de motocicletas e motonetas, duas vezes maior que os 20,5% obtidos no mesmo período de 2008.

De acordo com estudos feitos pela assessoria econômica da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios Abac), de janeiro a junho de 2009, mais de 300 mil consorciados receberam suas cartas de crédito, enquanto um ano antes foram quase 215 mil.

A comercialização de cotas, acumulada neste semestre, somou 555 mil novas adesões, 12,1% mais que as 495 mil dos primeiros meses do ano passado.

O presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi, explica que “o sucesso do consórcio no mercado motociclístico pode observado pelo total de consorciados que se aproxima rapidamente dos dois milhões. De olho no futuro, o consumidor aderido ao consórcio como forma de poupança, uma postura que o leva a formar seu patrimônio”.

O número de participantes, em junho último, superou 1,99 milhão, 7,2% mais que os 1,86 milhão, do mesmo mês, no ano . No Sistema de Consórcios, que inclui todos os tipos de bens (veículos automotores, imóveis, bens móveis e serviços), há mais de 3,67 milhões de consorciados.

Fonte: Equipe MOTO.com.br