Posts com a Tag ‘opção’

Consórcio: uma opção para adquirir bens ou serviços de forma planejada

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

 

Segundo dados da ABAC, o segmento cresceu 14,75% no primeiro semestre de 2019

Segundo dados da ABAC, o segmento cresceu 14,75% no primeiro semestre de 2019

 

Segundo informações da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac, o segmento de consórcios cresceu 14,75% no primeiro semestre de 2019, em comparação ao mesmo período do ano passado. Sinal de que a modalidade é uma opção para adquirir bens ou serviços de forma planejada, que atende um público diverso, principalmente por ser um produto que foge das altas taxas de juros e permite ao consumidor escolher prazos e formas de pagamento que cabem no bolso. A modalidade é a forma planejada mais flexível e barata de conquistar bens e serviços. Essa flexibilidade se estende até mesmo no momento da contemplação.

 

O uso do consórcio vai muito além da aquisição de imóveis ou veículos. As administradoras já oferecem diversos serviços a seus clientes, que podem contratar um procedimento estético, uma viagem, cursos, reformas residenciais ou empresariais, entre outras opções, desde que exista uma nota fiscal ou contrato de prestação de serviços.

Ao decidir comprar um bem ou serviço, é comum questionar qual a melhor opção: consórcio ou financiamento. No consórcio não há juros ou imposto sobre operações financeiras (IOF). O cliente paga apenas uma taxa de administração, que é calculada sobre o valor do bem.

Fonte: exame.abri.com.br

É possível vender, comprar ou transferir cotas contempladas com segurança?

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

 

 

Consórcios registram avanço de quase 15% nas vendas de novas cotas e mais de 26% nos contratos comercializados

Consórcios registram avanço de quase 15% nas vendas de novas cotas e mais de 26% nos contratos comercializados

 

O planejamento a médio e longo prazos, feito conscientemente pelo consorciado de acordo com a essência da educação financeira, inclui desde a certeza do adimplemento dos compromissos mensais ajustados ao orçamento pessoal, familiar ou empresarial até a transformação dessa aplicação em patrimônio. De janeiro a julho deste ano, o sistema de consórcios registrou avanço de quase 15% nas vendas de novas cotas e mais de 26% nos contratos comercializados provocando ampliação do total de participantes ativos, ratificando a informação de que é possível vender, comprar ou transferir cotas contempladas com segurança por meio da modalidade.

“Contudo, por se tratar de um direito e de um patrimônio conquistado, o participante de um grupo, cuja cota tenha sido contemplada por sorteio ou lance em assembleia geral ordinária, pode transferir o seu contrato, a qualquer momento, para outro consumidor interessado na compra, desde que autorizado pela administradora. O importante é seguir as recomendações para concretização de um negócio seguro”, explica Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios).

Inicialmente, é necessário verificar se o contrato que está sendo transferido é administrado por uma empresa de consórcio devidamente autorizada a operar pelo Banco Central do Brasil, consultando o site daquele órgão: www.bcb.gov.br.

Na sequência, o interessado deverá examinar documentos que comprovem a contemplação da cota como a ata da assembleia geral ordinária que registra sua regularidade. Também é importante averiguar os pagamentos de prestações anteriores, antes e depois da contemplação por meio do extrato da cota, inclusive a cópia do contrato assinado à época da adesão pelo consorciado vendedor, junto com eventuais alterações ocorridas no período fornecidas pela administradora, a fim de ratificar as condições vigentes. Por fim, estando tudo em ordem, resta confirmar o valor do crédito na data da assembleia, bem como dos rendimentos financeiros obtidos até a data do negócio.

A transferência de uma cota, esteja ela contemplada ou não, só acontece após a autorização da administradora e assinatura do termo de cessão do contrato, já que a empresa de consórcio, como gestora dos interesses do grupo, deverá verificar a capacidade financeira do futuro consorciado. “Portanto”, completa Rossi, “comprar, vender ou transferir uma cota contemplada é seguro quando observados os princípios corretos de negociação, a exemplo de quaisquer patrimônios, sem se deixar levar por promessas verbais não constantes do contrato, sempre com aprovação da administradora”.

Fonte: abac.org.br